Apresentamos, a seguir, detalhes da fundação do Stud-Book Brasileiro, que ocorreu no dia 21 de fevereiro de l891, de acordo com a obra Sangue e Raça, de autoria de Dr. José Roberto Taranto.

O Stud-Book Brasileiro foi fundado no dia 21 de fevereiro de l891, pelo decreto 14/4 do Governo Provisório, para encontrar a verdadeira identidade dos animais registrados de boa-fé pelos criadores gaúchos.

***

Em conseqüência do abandono e descaso em que viveu a criação nacional, o SBB muitos anos mais tarde ainda processava a desqualificação de um numeroso lote de registros pela impossibilidade de fazê-lo corretamente. Tanto isto é procedente que, durante a eficiente e cautelosa administração de Ricardo Xavier da Silveira, o SBB deu início a uma operação ?pente fino? abrangendo o período de 1870, primórdios da criação, a fins de 1917, quando a equideocultura entrou em nova fase, com o advento da Comissão dos Criadores do Cavalo Puro Sangue, criado em janeiro de 1918.

***

O resultado de pesquisa corrigiu uma série de equívocos contidos no Livro Preliminar do Stud-Book Brasileiro, publicado em l954, sob o patrocínio da Associação dos Criadores de Cavalo.

***

A verdadeira criação do cavalo de corrida no Brasil começa em l906, com a fundação do Haras São José (Linneo de Paula Machado), no Estado de São Paulo.

***

O nascimento do primeiro animal puro sangue de corrida no Brasil foi em Minas Gerais, na propriedade do conselheiro José Calmon Nogueira do Vale, o primeiro criador nacional e também o primeiro importador de puro sangue de corrida: Moema (l871) filha de Kettledrum e Hieroglyphico.