Em julgamento realizado nesta quarta-feira (27), no Tribunal Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro, o Marília perdeu por 6 votos a 2 o recurso que tentava recuperar seis pontos perdidos. O clube voltou a ser condenado a perder seis pontos na Série B do Campeonato Brasileiro por escalar de forma irregular o zagueiro Leandro Camilo na partida contra o Avaí, pela terceira rodada..

A maioria dos auditores baseou sua decisão na jurisprudência. Eles argumentaram que o Rio Branco de Paranaguá-PR foi eliminado da Copa do Brasil nas mesmas circunstâncias, por escalar um jogador sem inscrição no Boletim Informativo Diário (BID). E, como o MAC foi condenado pela mesma infração, não era correto devolver os pontos ao time paulista.

Os auditores que votaram a favor do MAC foram Rubens Aprobatto Machado e Francisco Munish, que criticaram a postura da Federação Paulista de Futebol (FPF) por ser a principal responsável pela não inscrição de Leandro Camilo no BID. Os auditores entenderam o argumento do advogado Alex Altimari, que acusou a FPF no primeiro julgamento de junho.

"A documentação do Leandro foi enviada junto com a do Henrique Ortiz e do Rogério Corrêa. Os dois estavam inscritos no BID e o Leandro não. Por quê? É que a Federação estava com muito trabalho e errou neste ponto. Eles até já assumiram o erro", explicou Altimari.

Sem os seis pontos, o Marília terá mesmo que fazer uma campanha de recuperação na Série B, onde soma sete pontos e ocupa a 16.ª posição. Na terça-feira, em casa, venceu a Ponte Preta, por 3 a 2, e agora vai receber, sábado, o São Caetano, no Estádio Bento de Abreu.