Por unanimidade, 5 votos a 0, o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, foi absolvido nesta quinta-feira pelo Pleno (última instância) do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD)e respirou aliviado. Foi julgado novamente por causa da denúncia que fez às vésperas da partida decisiva entre São Paulo e Goiás, pela última rodada do Campeonato Brasileiro de 2008, e se livrou de nova punição.

No ano passado, ele acusou o árbitro Wagner Tardelli, que apitaria o jogo citado acima, de envolvimento em um esquema de suborno por supostamente receber ingressos de uma “secretária do São Paulo” para um show da Madonna. Del Nero relatou isso para a Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que tirou Tardelli da partida. Posteriormente, nada ficou comprovado contra o árbitro.

Por ter oferecido queixa infundada ou dado causa à instauração de inquérito, como consta no artigo 221 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), Del Nero foi suspenso por 90 dias e acabou afastado da federação, para onde voltou no início do mês.