O Palmeiras começou a Libertadores como o mais desacreditado dos brasileiros, mas chega agora à última rodada já classificado. Ao enfrentar o Sporting Cristal no Peru, nesta quinta, o time paulista depende só de si para assegurar a primeira posição do grupo. Precisa vencer, apenas. Em caso de empate, torce por um tropeço do Libertad contra o Tigre, em Assunção.

O meia Souza ressalta a importância de vencer e passar às oitavas de final como campeão da chave, com a garantia de jogar a partida de volta da próxima fase no Pacaembu, diante do seu torcedor.

“A gente pensa em terminar em primeiro porque o melhor é decidir em casa. Nessa competição faz diferença. Queremos buscar isso na quinta-feira, garantir essa primeira colocação. E, se for possível, não enfrentar times brasileiros agora porque sabemos que é mais difícil. Mas também estaremos preparados para isso”, comentou o jogador.

A chance de o Palmeiras pegar um brasileiro caso avance com melhor campanha do seu grupo é pequena, uma vez que São Paulo e Grêmio, se avançarem, devem ter as piores campanhas entre os segundos colocados. E o Palmeiras uma das piores entre os líderes.

Souza, que concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira, também falou sobre a renovação do seu contrato. “Já conversei com presidente, está tudo resolvido, não tem nenhuma preocupação, sou do Palmeiras até o fim do ano. Acertei o que tinha de acertar, até o fim do ano está tudo tranquilo. Presidente é um cara muito honesto, me explicou situação, eu compreendi, falei minha situação também para ele, e está tudo resolvido.”