Foto: Ciciro Back
Bonamigo quer comprovar que o time finalmente
entrou no campeonato.

Após a terceira rodada da Série B, o Paraná Clube segue na rabeira da competição, com apenas 11,11% de aproveitamento. Um quadro que impõe ao grupo a necessidade de vitória no jogo desta terça – às 20h30, no Durival Britto -, contra o Bragantino. Um resultado positivo além de tirar o Tricolor da zona do rebaixamento comprovaria, na prática, a teoria do técnico Paulo Bonamigo, de que o time ?enfim entrou na competição?.

Se o torcedor ainda mostra desconfiança quanto ao time, a comissão técnica destaca pontos positivos do grupo, que, mesmo sem sua força máxima, vai conseguindo se moldar àquilo que o treinador imagina como o ideal para a disputa da Segundona. Já com mais opções – Naves e Marcelinho entrando em forma, Thyago Fernandes chegando e garotos da base, como Diego, se firmando -, Bonamigo decidiu dar um descanso para jogadores que estão se ressentindo de pequenas lesões.

Se antes Goiano já havia ?parado? para tratamento de uma tendinite, agora é a vez de Léo, Cristian e Luís Henrique descansarem. A idéia da comissão técnica é aproveitar a folga na tabela – após o jogo com o Bragantino, o Paraná fica sem atuar por dez dias – para recuperar e dar uma condição homogênea ao grupo. Até porque, os quatro jogos subsequentes (Ceará, Bahia, ABC e América-RN) serão realizados em fins de semana, dando à comissão técnica uma boa condição de recuperação e preparação do time.

Só que antes de planejar esse período, o foco de Bonamigo está nos 90 minutos decisivos contra a equipe de Bragança Paulista. O Tricolor não tem outra alternativa para espantar a crise senão conquistar a sua primeira vitória para respirar na Série B. A todo instante, jogadores e integrantes da comissão técnica fazem apelo aos torcedores, para que dêem um voto de confiança ao time. ?Precisamos desse incentivo. Só transformando a Vila Capanema no nosso alçapão vamos atingir a nossa meta?, afirmou Bonamigo.

Só que o histórico recente – em que pese a campanha Sempre Torcedor, que já atingiu a marca de 1.500 associados -indica para um público pequeno nesta terça. Torcedores que poderão ver em campo um Paraná modificado. No treino desta manhã, Paulo Bonamigo define se mantém o sistema com três zagueiros (para isso, depende da recuperação de Daniel Marques) ou se arrisca tudo num 4-4-2, fortalecendo o meio-de-campo e o ataque na busca dos gols e da vitória diante do Bragantino.

O início pífio de competição obriga o Paraná, agora, a atingir um rendimento de 58% nos 35 jogos restantes. Só assim vai chegar à marca dos 62 pontos, que é o ?número mágico? para voltar à primeira divisão nacional. Num cálculo simplista, seria algo como vencer 20 dos jogos que ainda vai disputar nessa temporada.

Nova dupla de volantes

Independente da estratégia de jogo a ser aplicada contra o Bragantino, o técnico Paulo Bonamigo antecipou a presença da nova dupla de volantes, formada por Diego e Naves. Os jogadores têm a missão de dar equilíbrio ao setor, que foi o ponto forte do time no primeiro quadrimestre. Com Jumar e Léo, o Paraná Clube teve seu melhor momento na temporada. Só que um foi para o Palmeiras e o outro se recupera de uma tendinite, lesão que vinha interferindo diretamente no rendimento do atleta.

A boa estréia de Diego, 18 anos, na equipe principal, deu a Bonamigo a segurança para manter o garoto no time. Ao lado de Naves, que após dois jogos completos (antes, havia atuado por 20 minutos, diante do Avaí), está melhor condicionado e em momento de afirmação. ?Creio que estou melhorando a forma física. Com isso, também há um crescimento técnico e aos poucos vou me entrosando com os companheiros?, analisou Naves. ?Creio que estou perto dos 80%, em relação à parte física, o que é o ideal nesse momento da temporada.?

Naves admite que substituir Jumar e Léo é um grande desafio. ?É difícil, mas não impossível. Estou aqui para mostrar meu futebol e conquistar espaço?, afirmou Naves. (IC)