Tudo no Corinthians de agora até o dia 13 é relacionado ao Santos, rival da semifinal na Libertadores. Contra o Atlético-MG, às 16h, Tite começa a testar opções para recuperar o setor ofensivo, já que precisará de gols no clássico e também na busca pelos primeiros pontos no Brasileiro.

Em baixa, há cinco jogos (mais de um mês) sem balançar as redes adversárias, os atacantes começaram a sofrer críticas e o setor agora tem atenção especial.

Curiosamente, na goleada por 6 a 0 sobre o Táchira, dia 18 de abril, Emerson, autor de um gol, falava em alto e bom som que “era só o começo” e que “o setor não tinha gastado seu poderio.”

Naquela partida seus companheiros de frente, Jorge Henrique e Liedson também deixaram suas marcas. Mas a fase…

Neste domingo o trio não estará em campo. Sheik e Jorge Henrique, assim como o volante Paulinho, serão poupados por causa do desgaste físico. Nada de estourar as principais peças ofensivas. Willian e Élton ganham chance para mostrar que podem ser opções diante do Santos caso Tite precise modificar na maneira de o time atuar. Liedson fica no banco.

Tite aposta em Élton caso precise de um cabeceador na Libertadores. E Willian atua para recuperar o moral perdido após dois jogos entre os titulares nos quais nada fez e voltou à reserva.

E a ordem é não ter medo de finalizar. “Futebol se destaca muito na eficiência, mas os números (de chances criadas) mostram que não somos defensivos, temos é de melhorar na pontaria, fazer como o Santos que, se tem cinco chances, faz dois, três gols”, pede Alex.

Opção de Tite com o baixo rendimento de Liedson e Willian nas últimas partidas, Alex agora é quem mais joga perto do gol, como falso centroavante. “Estou à vontade, numa posição na qual me dei muito bem em 2008. Como atacante falso no Inter, acabei encaixando.”