A temporada de jogos para o Paraná Clube terminou há uma semana, mas algo segue incomodando os jogadores que atuaram este ano pelo clube. Os atrasos salariais continuam sendo motivos de reclamação e, mesmo de férias, os atletas estão unidos em cobrar os salários.

Nos últimos dias, alguns jogadores foram na sede da Kennedy para tentar solucionar este problema e foram comunicados que a direção está tentando recursos para quitar os pagamentos. A perspectiva passada seria que até o final do ano todos irão receber o dinheiro combinado. O clube deve três meses de salários, férias e décimo terceiro ao grupo de 2014.

No entanto, o problema recorrente durante o ano inteiro faz com que jogadores reforcem publicamente em redes sociais que não irão retornar ao clube. O atacante Tiago Alves, que veio do Santos, culpa os diretores pelo ano e situação vivida pelo Tricolor. “Esse ano foi difícil, pois todos sabem da situação financeira do Paraná, mas, mesmo assim, com tantos problemas, nós jogadores não paramos de lutar, pois sabíamos que o Paraná não tem culpa das pessoas que estão dirigindo esse clube, pessoas que não sabem o tamanho do Paraná e só pensam em si mesmos. Vou orar e pedir a Deus para que ano que vem seja completamente diferente, porque a instituição Paraná não merece passar novamente o que passou este ano”, escreveu ele, que não deve ser utilizado na Baixada Santista.

Outro que reclamou foi o zagueiro Alisson. Destaque paranista este ano, o garoto de 20 anos tem contrato com o Paraná, mas desperta interesse de outros times do futebol brasileiro e até do exterior. O jogador, formado na base do Tricolor, não atuou os últimos jogos da Série B devido a dores musculares, mas, mesmo ausente das partidas, deu uma cutucada na direção paranista. “Valorizem os profissionais que trabalharam com seis meses de salário atrasado. Gente com família, mas que mesmo com esses problemas ficaram aqui, pois amam e acreditam no clube. O Paraná Clube continua na Série B, muitos erros desnecessários atrapalharam nossa campanha nos pontos corridos”, teclou Alisson.

A diretoria trata com naturalidade estes desabafos por parte dos jogadores. “Os problemas aconteceram e cada um reage de uma forma. Só não podem negar a visibilidade que o clube lhes proporcionou, gerando possibilidades profissionais a todos, até pela postura que tiveram”, disse Celso Bittencourt, vice-presidente de futebol do Paraná.

Sem críticas

Contudo, tem atleta se despedindo do Paraná sem escrever nada contrário ao clube. O volante Lucas Otávio não sentia a dificuldade de salários atrasados, pois era pago pelo Santos. Sendo assim, escreveu um depoimento agradecendo a oportunidade de jogar no Tricolor. “Tive o prazer de ser convidado pelo professor Claudinei Oliveira a defender um clube que cresci vendo jogar. Clube que carrega o nome do Estado em que tenho orgulho de ter nascido. Estou aqui para agradecer de coração ao Paraná Clube, à nação paranista, e sou grato por tudo que vocês me proporcionaram. Foi um prazer vestir a camisa desse grande clube do futebol brasileiro”, reforçou ele, outro que não deve ficar no Peixe.