enkontra.com
Fechar busca

De Letra

Guia da Segundona

Série B: Conheça os rivais de Coritiba, Londrina, Operário e Paraná Clube

Competição promete ser a mais equilibrada desde a adoção da fórmula dos pontos corridos

  • Por Redação / Tribuna do Paraná
Ruy, Jonatas Belusso, Rafael Carioca e Itamar Schulle. Figuras conhecidas do nosso futebol que agora são adversários na Sergundona. Fotos: Arquivo

A Série B do Campeonato Brasileiro começa nesta sexta-feira (26) com quatro times paranaenses, o que não acontecia desde 1991. A marca expressiva aumenta a chance de termos algum representante na lista dos que vão subir para a primeira divisão em 2020. Mas a Segundona de 2019 promete ser a mais equilibrada desde a adoção da fórmula com pontos corridos. E pra saber quem vai encarar Coritiba, Londrina, Operário e Paraná Clube, a Tribuna do Paraná apresenta os outros 16 participantes do campeonato. Confere aí!

América-MG

Olho nele: Matheusinho, meia do América-MG. Foto: Divulgação

Olho nele: Matheusinho, meia do América-MG. Foto: Divulgação

O adversário do Operário no jogo das 19h15 desta sexta-feira entra como um dos candidatos ao acesso. O trabalho de Givanildo Oliveira, que começou ainda na Série A do ano passado, vem dando solidez ao time, que chegou à semifinal do Campeonato Mineiro. Mas ainda tem dificuldades ofensivas, mesmo com os rodados Neto Berola e Júnior Viçosa. Jonatas Belusso e Leandro Silva, ambos ex-Coritiba, serão titulares diante do Fantasma.

Time-base: Fernando Leal; Leandro Silva, Paulão, Diego Jussani e João Paulo; Zé Ricardo, Juninho e Matheusinho; Felipe Azevedo, Jonatas Belusso e Júnior Viçosa.
Técnico: Givanildo Oliveira

+ Forças: Operário e Londrina entram na Série B querendo protagonismo

Atlético-GO

Olho nele: Mike, atacante do Atlético-GO. Foto: Divulgação/ACG

Olho nele: Mike, atacante do Atlético-GO. Foto: Divulgação/ACG

Vem embaladíssimo para a Segundona após a conquista do Campeonato Goiano sobre um Goiás repleto de medalhões. O técnico é Wagner Lopes, que teve duas passagens pelo Paraná Clube. Em campo, o lateral-esquerdo Nicolas, que jogou a Taça Barcímio Sicupira pelo Athletico, e o destaque Gilsinho, que teve no currículo o título da Libertadores de 2012 pelo Corinthians.

Time-base: Maurício Kozlinski; Jonathan, Lucas Rocha, Gilvan e Nicolas; Pedro Bambu, Moacir, Matheuzinho e André Luís; Mike e Gilsinho.
Técnico: Wagner Lopes

Botafogo-SP

Olho nele: Nadson, meia do Botafogo-SP. Foto: Divulgação/Wsports

Olho nele: Nadson, meia do Botafogo-SP. Foto: Divulgação/Wsports

Uma das experiências mais interessantes em gestão do futebol está no Botafogo de Ribeirão Preto. O clube tornou-se uma empresa e vai, passo a passo, recuperando seu status no futebol – não, claro, como nos tempos em que tinha Sócrates como seu camisa 8. Aposta no técnico Roberto Cavalo, ex-Paraná, e num grupo recheado de jogadores rodados, entre eles Nadson, outro ex-tricolor.

Time-base: Darley; Bruno José, Naylhor, Plínio e Leonan; Marlon Freitas, William Oliveira, Evandro e Nadson; Felipe Saraiva e Rafael Costa.
Técnico: Roberto Cavalo

Bragantino

Olho nele: Ytalo, atacante do Bragantino. Foto: GloboEsporte.com

Olho nele: Ytalo, atacante do Bragantino. Foto: GloboEsporte.com

De um apenas participante da Série B, o time de Bragança Paulista deu um salto com a parceria fechada com a Red Bull. A empresa promete alto investimento (mais de R$ 40 milhões) para colocar de novo o Massa Bruta na primeira divisão – pra quem não lembra, o Braga foi vice-campeão brasileiro em 1991. O técnico é Antônio Carlos Zago, que estava no RB Brasil, de onde vieram boa parte dos reforços.

Time-base: Júlio César; Aderlan, Léo Ortiz, Ligger e Rafael Carioca; Uillian Correia, Barreto, Claudinho, Bruno Tubarão e Osman; Ytalo.
Técnico: Antônio Carlos Zago

Brasil de Pelotas

Olho neles: Murilo Rangel e Juba, do Brasil de Pelotas. Foto: Divulgação

Olho neles: Murilo Rangel e Juba, do Brasil de Pelotas. Foto: Divulgação

Se em anos anteriores o Xavante chegou a assustar, em 2019 o time sofre com as más campanhas. Eliminado precocemente no Campeonato Gaúcho e na Copa do Brasil, o time comandado por Rogério Zimmermann tem dois conhecidos do futebol paranaense: o meia Murilo Rangel, ex-Paraná, e o atacante Juba, campeão estadual com o Operário em 2015.

Time-base: Carlos Eduardo; Ricardo Luz, Bruno Aguiar, Leandro Camilo e Pará; Carlos Jatobá, Leandro Leite, Branquinho, Murilo Rangel e Juba; Douglas Baggio.
Técnico: Rogério Zimmermann

CRB

Olho nele: William Barbio, atacante do CRB. Foto: Arquivo

Olho nele: William Barbio, atacante do CRB. Foto: Arquivo

A grande pressão para o time de Maceió é ver o grande rival, o CSA, comemorar o título alagoano e estrear no domingo na primeira divisão. Por isso, a torcida exige uma grande campanha nesta Segundona. Marcelo Chamusca é o treinador e a esperança de gol é Zé Carlos, aquele mesmo que passou pelo Tricolor. O CRB é o adversário do Londrina, domingo (28), às 16h, no estádio do Café.

Time-base: Edson Mardden; Júnior, Wellington Carvalho, Guilherme Mattis e Igor; Claudinei, Ferrugem e Hugo Sanches; William Barbio, Zé Carlos e Victor Rangel.
Técnico: Marcelo Chamusca

Criciúma

Olho nele: Andrew, atacante do Criciúma. Foto: Lucas Colombo

Olho nele: Andrew, atacante do Criciúma. Foto: Lucas Colombo

A instabilidade marca os últimos anos do Tigre. Ano passado, fez uma campanha ruim na Série B, e só se livrou do rebaixamento nas últimas rodadas. Este ano, com Gilson Kleina no comando e Maicon, o da seleção brasileira, na lateral-direita, tenta voltar à briga pelo acesso.

Time-base: Bruno Grassi; Maicon, Léo Santos, Sandro e Caique; Jean Mangabeira, Wesley e Daniel Costa; Andrew, Vinicius e Reis.
Técnico: Gilson Kleina

+ Vai começar: Confira tudo sobre o Brasileirão

Cuiabá

Olho nele: Felipe Marques, atacante do Cuiabá. Foto: Divulgação

Olho nele: Felipe Marques, atacante do Cuiabá. Foto: Divulgação

Com uma ascensão semelhante à que Londrina e Operário tiveram, saindo rapidamente da Série D para a Série B, o Cuiabá é uma das novidades da Segundona neste ano. E o clube resolveu investir forte pra disputa. Um exemplo é a contratação de Felipe Marques, destaque do Tubarão ano passado. O atacante estava acertando a volta ao Londrina, mas recebeu uma proposta “padrão Série A” dos matogrossenses e acabou fechando com eles. O técnico é Itamar Schulle, campeão com o Operário em 2015.

Time-base: Victor Souza; Jonas, Douglas Mendes, Edson Borges e Alex Ruan; Escobar, Marino, Jean Patrick e Escudero; Felipe Marques e Caio Dantas.
Técnico: Itamar Schulle

Figueirense

Olho nele: Betinho, volante do Figueirense. Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC

Olho nele: Betinho, volante do Figueirense. Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC

O Furacão do Estreito é outro que sofre com a fase boa do rival – enquanto no ano passado o alvinegro teve uma campanha irregular, o Avaí subiu para a Série A. E este ano ainda foi campeão estadual. A ordem no Orlando Scarpelli é fortalecer o time para tentar o acesso. Rafael Marques, ex-Palmeiras e Cruzeiro, foi a principal contratação,

Time-base: Denis; Alemão Teixeira, Pereira, Ruan Renato e Matheus Destro; Zé Antônio, Betinho, Felipe Mateus e Tony; Alípio e Rafael Marques.
Técnico: Hemerson Maria

Guarani

Olho nele: Ricardinho, volante do Guarani. Foto: Letícia Martins/Guarani Press

Olho nele: Ricardinho, volante do Guarani. Foto: Letícia Martins/Guarani Press

A equipe que disputou o Campeonato Paulista sofreu grandes mudanças. William Matheus voltou para o Coritiba, Thiago Ribeiro foi para o Bragantino e Éder Luís, ex-Vasco, foi contratado. E Vinícius Eutrópio comanda o time, no lugar de Osmar Loss. Rondinelly, que teve passagem breve pelo Londrina, está no Bugre.

Time-base: Giovanni, Léo Príncipe, Ferreira, Diego Giaretta e Inácio; Deivid e Ricardinho; Mateusinho, Arthur Rezende e Felipe Amorim; Diego Cardoso.
Técnico: Vinícius Eutrópio

Oeste

Olho nele: Roberto, atacante do Oeste. Foto: Divulgação

Olho nele: Roberto, atacante do Oeste. Foto: Divulgação

O clube que era de Itápolis e que há três temporadas atua em Barueri é talvez o de menor torcida entre os vinte participantes da Série B. Ano passado, a média de público foi de 930 pagantes por partida – maior só que a do Boa Esporte, que foi rebaixado. Para completar, o time perdeu seu principal jogador, o volante Matheus Jesus, que foi para o Corinthians.

Time-base: Matheus Cavichioli; Cicinho, Maracás, Kanu e Conrado; Lídio, Betinho, Elvis, Roberto e Guilherme; Bruno Lopes.
Técnico: Renan Freitas

Ponte Preta

Olho nele: Renato Kayzer, atacante da Ponte Preta. Foto: Carlos Velardi/EPTV

Olho nele: Renato Kayzer, atacante da Ponte Preta. Foto: Carlos Velardi/EPTV

Uma das forças desta Segundona, a Ponte Preta teve um início conturbado de temporada, com troca de técnico (agora Jorginho é o comandante) e mudanças no elenco. Tiago Real, ex-meia do Coritiba, foi um dos poucos destaques no Campeonato Paulista. Mas o principal jogador do time é o goleiro Ivan, que esteve na mira de clubes da Série A. A Ponte é a adversária do Coritiba nesta segunda (29), às 20h, no Couto Pereira.

Time-base: Ivan; Luis Ricardo, Renan Fonseca, Reginaldo e Diego Renan; Edson, Gerson Magrão, Júlio César, Matheus Vargas e Renato Kayzer; Thalles.
Técnico: Jorginho

+ Coxa: Coritiba entra como um dos candidatos ao acesso

São Bento

Olho nele: Régis, meia do São Bento. Foto: Emilio Botta/GloboEsporte.com

Olho nele: Régis, meia do São Bento. Foto: Emilio Botta/GloboEsporte.com

O projeto ousado do clube de Sorocaba sofreu um duro golpe com o rebaixamento no Campeonato Paulista. A Série B passou a ser a tábua de salvação do clube, que apostou em medalhões como Alecsandro e acabou fracassando. Com Doriva no comando técnico, a aposta é na recuperação de Régis, que está em tratamento contra a dependência química.

Time-base: Henal; Bruno Moura, Elton, Luizão e Mansur; Fábio Bahia, Doriva e Paulinho; Paulo Henrique, Régis e Zé Roberto.
Técnico: Doriva

Sport

Olho nele: Sammir, meia do Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Olho nele: Sammir, meia do Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Deveria entrar como o grande favorito para o acesso, mas a crise financeira atingiu o clube pernambucano em cheio. Foi o que inclusive colaborou para o rebaixamento no ano passado. Muitos gastos e pouca receita levaram o Leão a passar maus bocados, e só agora entrar nos eixos. Com Guto Ferreira no comando, o time cresceu e levou o Campeonato Pernambucano, mas pode perder dois de seus destaques: o zagueiro Adryelson, na mira de Athletico e Internacional, e o centroavante Hernane Brocador, que interessa ao Santos.

Time-base: Maílson; Raul Prata, Rafael Thyere, Adryelson e Guilherme Lazaroni; Ronaldo, Charles e Sammir; Ezequiel, Guilherme e Hernane.
Técnico: Guto Ferreira

Vila Nova

Olho nele: Alan Mineiro, meia do Vila Nova. Foto: Douglas Monteiro/Vila

Olho nele: Alan Mineiro, meia do Vila Nova. Foto: Douglas Monteiro/Vila

Podemos chamar o Vila de “time do Danilo”. O multicampeão por São Paulo e Corinthians voltou a jogar no futebol goiano e é a principal atração do alvirrubro. Ele forma uma dupla afiada com Alan Mineiro, que vai para a sua terceira Série B pelo clube. É o adversário da estreia do Paraná Clube, às 21h de sábado (27), no Serra Dourada.

Time-base: Rafael Santos; Philipe Maia, Patrick, Hélder e Felipe Rodrigues; Ramon, Joseph, Alan Mineiro e Danilo; Facundo Boné e Capixaba.
Técnico: Eduardo Baptista

+ Tricolor: Paraná quer repetir a dose de 2017 nesta Série B

Vitória

Olho nele: Andrigo, meia do Vitória. Foto: Mauricia da Matta/EC Vitória

Olho nele: Andrigo, meia do Vitória. Foto: Mauricia da Matta/EC Vitória

Rebaixado no Brasileirão do ano passado, o Vitória entrou em parafuso. Teve uma primeira parte de temporada muito ruim, sem chegar à final do Campeonato Baiano e eliminado na Copa do Nordeste. Mudou até de presidente – Paulo Carneiro, que foi diretor do Athletico, reassumiu o clube. Cláudio Tencati, técnico que mudou a história do Londrina, comanda o rubro-negro baiano, e conta com Ruy, ex-Coritiba, como principal armador.

Time-base: Ronaldo; Matheus Rocha, Edcarlos, Victor Ramos e Fabrício; Léo Gomes, Dudu Vieira e Rodrigo Andrade; Ruy, Andrigo e Neto Baiano.
Técnico: Cláudio Tencati

+ Confira a tabela completa da Série B!

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

10 Comentários em "Série B: Conheça os rivais de Coritiba, Londrina, Operário e Paraná Clube"


Adriovaldo Silva
Adriovaldo Silva
28 dias 18 horas atrás

Situação complicada.

Coxa Terra Plana
Coxa Terra Plana
29 dias 9 horas atrás

Ponte Preta, Sport, Vitoria, Atletico GO, Vila Nova, Londrina e Guarani …

Coxinha sem chance nenhuma de subir …

Coxa Terra Plana
Coxa Terra Plana
29 dias 9 horas atrás

Coxa, o rei do Vandalismo desde 2009 ……

Nero Psicofezico
Nero Psicofezico
29 dias 10 horas atrás

cfc e paranito não sobem

Aquiles Mendes
Aquiles Mendes
29 dias 11 horas atrás

Só equipes que sempre serão do segundo escalão do Brasil. .parabéns seu incompetentes …só time nível M ….mer da

Martelo Rubronegro
Martelo Rubronegro
29 dias 11 horas atrás

Coxa não está nem entre os 10 candidatos ao acesso. #PAGUEMASCADEIRAS

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas