O Paraná Clube segue a sua rotina: maus resultados = mudança de treinador. A mesma ciranda – ou seria roleta-russa? – dos últimos anos. Desde 2007, quando disputou a primeira Libertadores de sua história, um treinador não dura, em média, três meses.

A “vítima” da vez foi Zetti. Demitido antes de completar 60 dias à frente do clube, viu o projeto de retorno à primeira divisão “fazer água”. A bola da vez, agora, é Sérgio Soares, que tentará repetir no Tricolor o que fez ano passado no Santo André.

Respeitado no mercado paulista, Sérgio Soares terá a primeira oportunidade em novo mercado. O técnico iniciou sua carreira no próprio Santo André, em 2004. Foram, nesses quase seis anos, três passagens pelo clube do ABC paulista.

Também esteve no Juventus, Barueri, Ponte Preta e São Caetano. “Seu currículo é muito interessante. Principalmente pelo fato de ter conseguido levar o Santo André à Série A. Além disso, obtivemos ótimas referências sobre sua conduta profissional”, afirmou o diretor de futebol, Paulo Welter.

Quanto à saída de Zetti, a diretoria afirmou ter sido uma decisão de consenso, reflexo da sequência de maus resultados e do rendimento muito aquém do esperado.

Após nove rodadas, o Paraná ocupa a 16.ª colocação, com rendimento de apenas 29,62%.

Uma situação que obriga o clube a conquistar nada menos do que 64,37% dos pontos que disputará a partir de sábado, quando encara o Atlético-GO, às 21h, no Serra Dourada. “Ficou muito difícil sustentar a permanência da comissão técnica. Três derrotas seguidas têm um peso muito grande nessa competição”, ponderou Welter.

O presidente Aurival Correia, até então contrário à mudança, acabou cedendo à opinião dos demais integrantes da diretoria paranista. A partir da definição pela saída de Zetti, contatos foram iniciados e cerca de dez nomes apontados como opções para o cargo.

Apesar da extensa lista, Sérgio Soares era a primeira opção, por ter experiência na Segundona e se adequar ao padrão financeiro do clube. “Procuramos técnicos com o mesmo perfil salarial do Zetti, pois não podemos fugir à nossa política econômica”, explicou o presidente Aurival Correia, descartando assim nomes como o de Alexandre Gallo, dispensado nesse fim de semana pelo Bahia.

Sérgio Soares chega hoje a Curitiba e será oficialmente apresentado às 14h30. Junto com o treinador, chegam também o preparador físico Stelio Metzker e o auxiliar técnico Denys Facincani (ex-lateral esquerdo do Palmeiras e do Corinthians). No Santo André, o trio chegou ao vice-campeonato da Série B, com aproveitamento de 62,96%.