A norte-americana Serena Williams venceu nesta sexta-feira a checa Petra Kvitova, alcançou as semifinais do Torneio de Doha e retornou ao posto de número 1 do mundo, que pertencia a Victoria Azarenka. A veterana de 31 anos volta a ser a melhor tenista do ranking da WTA mais de dois anos depois que deixou a posição pela última vez, em outubro de 2010.

De quebra, Serena se torna a jogadora mais velha a ocupar o topo, superando Chris Evert, número 1 do mundo em 1985 com 30 anos e 11 meses de idade. Na próxima segunda-feira, quando o novo ranking for oficialmente divulgado, a norte-americana completará 124 semanas na liderança. O posto vinha sendo ocupado por Azarenka desde 30 de janeiro de 2012.

Serena venceu Kvitova nesta sexta por 2 sets a 1, com parciais de 3/6, 6/3 e 7/5, e para isso precisou superar uma desvantagem de 4 a 1 no terceiro set, quando a checa parecia arrancar para a vitória. A norte-americana, no entanto, se recuperou, venceu seis dos sete games seguintes e fechou o jogo. Emocionada, ela não conseguiu segurar o choro após o último ponto.

Serena Williams já sabia que alcançaria a liderança do ranking se chegasse às semifinais em Doha, independentemente dos resultados de Azarenka. Isso porque a bielo-russa foi campeã da competição no ano passado e tinha muitos pontos a defender, enquanto a norte-americana não disputou o torneio em 2012, quando sofria com problemas físicos.

Azarenka, aliás, também segue viva na disputa pelo título em Doha, já que venceu com tranquilidade a italiana Sara Errani nesta sexta. Na briga por uma vaga na decisão, a bielo-russa terá pela frente a vencedora do duelo entre Agnieszka Radwanska e Caroline Wozniacki.

Já Serena Williams terá pela frente a número 3 do mundo, a russa Maria Sharapova, que desbancou a australiana Samantha Stosur por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/2. Sharapova, aliás, também poderia chegar ao topo do ranking em Doha, mas para isso precisaria conquistar o torneio, torcer para que Azarenka não chegasse à decisão e para que Serena não avançasse até as semifinais.