Com a semana livre para se preparar para o clássico contra o Corinthians, marcado para domingo, em Araraquara (SP), pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos segue com uma dúvida no time titular. O lateral-direito Cicinho, com dores abdominais, não treinou nos dois últimos dias, mas será liberado pelo departamento médico para participar do coletivo desta sexta-feira, no CT Rei Pelé. Se ele não voltar a sentir o problema, o técnico Claudinei Oliveira terá força máxima. Caso contrário, Bruno Peres será o substituto.

Enquanto isso, o departamento jurídico do Santos analisou a carta enviada por Marcos Assunção ao presidente em exercício, Odílio Rodrigues Filho, e orientou o dirigente, com base nas leis do trabalho, a não aceitar o pedido de suspensão do pagamento do salário de R$ 200 mil do jogador, enquanto ele não tiver condições de ficar à disposição de Claudinei Oliveira.

Marcos Assunção reapareceu em campo nesta quinta-feira e fez exercícios físicos sob a orientação do preparador físico, mas não há previsão para o seu retorno. Na última segunda, o volante de 37 anos passou por um procedimento médico para a aplicação de PRP (plasma rica em plaquetas) no joelho direito, lesionado desde o meio do ano passado, quando ainda atuava pelo Palmeiras. Esse tipo de tratamento é utilizado para apressar a recuperação. Ele tem esperança de um ainda atuar com a camisa santista antes de encerrar a carreira no fim do ano, quando termina o seu contrato.