Em seu primeiro jogo após o afastamento do meia Lucas Lima, o Santos faz um duelo decisivo neste domingo contra o Flamengo, às 19 horas, no estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro, pela 37.ª e penúltima rodada do Campeonato Brasileiro.

Em quarto lugar com 59 pontos, o Santos precisa apenas de um empate nas duas partidas restantes para se garantir na fase de grupos da Copa Libertadores. Seu rival direto é justamente o Flamengo, sexto com 53 – em quinto com 56, o Cruzeiro assegurou vaga ao ser campeão da Copa do Brasil.

E, tão importante quanto confirmar uma vaga na fase de grupos, evitando o risco e o desgaste de disputar a fase preliminar da Libertadores, o Santos tem outro desafio neste domingo: ver como o time se comportará sem Lucas Lima.

Principal nome do Santos nas últimas temporadas, o meia foi afastado nesta semana até o término de seu contrato, que se encerra no fim do ano. Lucas Lima recusou uma proposta de renovação, estaria apalavrado com o Palmeiras e foi muito criticado por não se comprometer em campo nas rodadas anteriores. Assim, não atuará mais pela equipe.

“Achei positivo o afastamento”, garantiu o técnico interino Elano. “Conversei com ele há muito tempo, a situação vai ficando grave principalmente para o atleta. Foi o que falei com ele. Uma decisão já poderia ter sido tomada há dois meses. No final, não tinha dúvida que sobraria para mim. Infelizmente algumas coisas aconteceram e os problemas ficaram para mim. É bom para o Lucas e para o Santos. O cara que vai jogar está com cabeça para jogar”.

Sem Lucas Lima, o treinador apostará na entrada do meia argentino Emiliano Vecchio. Mas essa não será a única mudança: com Lucas Veríssimo suspenso e David Braz lesionado, o também argentino Fabián Noguera ganha uma chance na zaga. “Jogam o Noguera e o Vecchio. O Noguera é um cara sensacional, que treina todos os dias, até mais do que todos. Está tendo sua oportunidade. Cabe a ele aproveitar ou não”, acrescentou Elano. “Vamos ao Rio de Janeiro muito preparados para que possamos fazer uma boa partida”.