Ricardo Gomes espera contar com Elano.

O objetivo da seleção brasileira é ficar em primeiro lugar nesta fase para garantir a vaga no quadrangular final e ganhar seis dias de descanso – a primeira rodada está marcada para o dia 21, em Valparaíso – mas o técnico Ricardo Gomes e os jogadores garantem que não têm medo da repescagem. ?Se tivermos de jogar domingo, vamos jogar tranqüilamente. Tenho plena confiança de que vamos disputar o quadrangular?, afirmou o treinador.

Caso fique em segundo ou terceiro na chave, o Brasil terá de fazer domingo um jogo de vida ou morte contra uma equipe do grupo que está jogando em La Serena, com direito a disputa por pênaltis se houver empate nos 90 minutos. Mas o caráter eliminatório dessa partida não assusta Ricardo Gomes. ?Tudo bem as partidas do quadrangular não serão eliminatórias. Mas experimente perder na primeira rodada para ver o efeito. O astral vai lá para baixo e ficará muito difícil conseguir a recuperação. Já falei para os garotos: de quinta-feira (amanhã) em diante todos os jogos serão decisivos. E não podemos ter medo de jogar.?

Além de apostar na qualidade do seu time, Ricardo também confia muito na maturidade dos meninos. Cinco deles (Adaílton, Dudu Cearense, Nilmar, Dagoberto e Daniel Carvalho) participaram da recente conquista do Mundial Sub-20 e ajudaram o time a sair de um buraco depois da inesperada derrota para a Austrália na última rodada da primeira fase, cinco (Alex, Paulo Almeida, Elano, Diego e Robinho) chegaram com o Santos à final da Libertadores em 2003 e ajudaram o time a sair da fila com a conquista do Brasileiro de 2002, quatro (Gomes, Maicon, Edu Dracena e Wendell) ganharam tudo pelo Cruzeiro ano passado e dois (Maxwell e Fábio Rochemback) jogam na Europa e estão acostumados a grandes desafios.

Ricardo elogia a maturidade dos jogadores desde a Copa Ouro. Naquele torneio, ele considerou a vitória na morte súbita contra os Estados Unidos na semifinal -Kaká havia empatado a partida aos 43 minutos do segundo tempo – como uma demonstração de que esta geração não se intimida com nada.

Diego também pensa como o treinador. Para ele, jogar a repescagem não será nenhum bicho de sete cabeças. ?Só dependemos de nossa capacidade para ficar em primeiro lugar na chave, mas se tivermos de jogar a repescagem não tem problema. Será apenas um jogo a mais em nosso caminho para garantir a vaga na Olimpíada.?

Pela TV

Ricardo tem acompanhado pela tevê os jogos da chave de La Serena. E destaca o equilíbrio entre as equipes. ?Está tudo muito parelho, a distância entre as seleções é cada vez menor.

O que está acontecendo aqui é reflexo do que se vê nas eliminatórias, em que até a Venezuela tem conseguido bons resultados recentemente. As competições entre seleções aqui na América do Sul estão ficando cada vez mais difíceis.?

Pendurados preocupam a seleção pré-olímpica

O Brasil corre o risco de fazer uma partida decisiva do Pré-Olímpico cheio de desfalques. Seis jogadores, dos quais cinco são titulares, estão pendurados com um cartão amarelo e não poderão jogar na primeira rodada do quadrangular final ou na repescagem, caso o time não vença o grupo – não existe mais chance de a seleção ficar em quarto lugar e ser eliminada -, se forem advertidos na partida de amanhã contra o Chile. Os ameaçados são Edu Dracena, Maxwell, Fábio Rochemback, Diego, Dagoberto e Paulinho.

O técnico Ricardo Gomes tenta minimizar a preocupação apoiando-se na qualidade do grupo que trouxe para o Chile. ?O ideal é que não percamos ninguém por suspensão, mas se perdermos tenho ótimas alternativas no banco para montar a equipe. Num torneio como este, é muito difícil não precisar mexer no time.?

Quem terminar a primeira fase com apenas um amarelo entrará ?limpo? na repescagem ou no quadrangular, porque os cartões serão zerados.

Como o jogo contra o Chile definirá quem será o primeiro colocado da chave e terá vaga garantida no quadrangular que classificará duas seleções para Atenas, a expectiva é de um confronto nervoso – o que aumenta o risco de os jogadores receberem cartão.

Mas Diego não está muito preocupado com a possibilidade de ser advertido. ?Levei o amarelo contra o Uruguai por ter simulado uma falta. Todo mundo faz isso, mas o juiz me escolheu para mostrar o amarelo. Tudo bem, foi justo, mas isso não vai se repetir. Acho muito difícil levar outro amarelo contra o Chile. Vou entrar em campo só para jogar futebol?, avisou o jogador do Santos – seu substituto imeditado é Paulinho.

Pelo estilo de jogo e disposição com que vai para as divididas, o jogador que corre mais risco de receber o segundo amarelo é o volante Fábio Rochemback. Se isso acontecer, a vaga ficará com Dudu Cearense.

Ele tem treinado muito bem, com personalidade, e vem sendo elogiado por toda a comissão técnica. O jogador do Vitória chegou a treinar no time titular na Granja Comary, quando chegou a notícia de que Rochemback teria de jogar pelo Sporting no dia 4, mas não começou jogando contra a Venezuela porque Ricardo Gomes optou por uma formação com três atacantes e escalou Daniel Carvalho.

Caso o capitão Edu Dracena seja suspenso, a briga será boa pela posição. Adaílton vem treinando melhor e se entrar, Alex será mantido pelo lado esquerdo, como prefere Ricardo Gomes e detesta o técnico Émerson Leão, do Santos. Caso a opção seja pelo canhoto Rodolfo, Alex passaria a marcar pelo lado direito.

A disputa também seria interessante para a vaga de Dagoberto. Nilmar, que tem características parecidas com a do titular, está em baixa e é a última opção para o ataque, atrás de Marcel e Daniel Carvalho.

Se não puder contar com Maxwell, Ricardo Gomes não teria dúvida em colocar o cruzeirense Wendell. Embora seja meia, o jogador foi convocado como reserva de Maxwell e passou para a lateral no segundo tempo da partida contra o Uruguai.

Elano tem dia D no Chile

O meia Elano tem um dia decisivo hoje. Ele treinará com bola pela primeira vez desde que torceu o tornozelo esquerdo, na partida de sexta-feira contra o Paraguai, e se não sentir dor quando chutar ficará à disposição do técnico Ricardo Gomes para o jogo contra o Chile, amnhã. Numa prova de que sua recuperação está indo muito melhor do que o esperado, Elano correu ontem e trabalhou fisicamente no campo do Huachipato no período da tarde. A possibilidade de ter chance de ser aproveitado amanhã mexeu com o humor do meia, que brincou muito e deu risadas – bem diferente do abatimento que mostrava no fim de semana, quando convivia com o medo de não poder mais jogar no Pré-Olímpico e passou quase todo o tempo em seu quarto porque tinha muita dificuldade para se locomover com a proteção provisória que usava. ?Não sinto mais nada quando ando ou corro. Ainda tenho uma dorzinha localizada, mas só dói quando eu aperto. Vamos ver como vai ser na hora de bater na bola, mas estou animado.?

O médico Rodrigo Lasmar prefere ser cauteloso. Mas garante que o jogador terá condição física de jogar os 90 minutos se estiver clinicamente recuperado. ?O Elano fez piscina segunda-feira e nesta terça-feira (ontem) trabalhou na bicicleta e correu. Fisicamente, ele não perdeu nada.?

A surpreendente recuperação de Elano deixou o técnico Ricardo Gomes muito feliz, porque chegou a temer não poder mais utilizar o meia na competição e ficar com o grupo reduzido a 19 jogadores. ?Tomamos um grande susto com a contusão dele, mas só de vê-lo andando normalmente e correndo já fico contente.?

Como o médico, Ricardo também prefere não fazer muitos planos para contar com o jogador do Santos na partida de amanhã. E deixa claro o quanto ele é importante para o time. ?Saber que vou poder contar com o Elano nos jogos decisivos é um alívio. Acho pouco provável que ele seja liberado já para o jogo com o Chile, mas se for vou pensar bem sobre a melhor maneira de aproveitá-lo. Talvez o melhor seja deixá-lo no banco e colocá-lo durante a partida só se houver necessidade?, revelou.

Caso Elano seja liberado e o técnico decida colocá-lo como titular, quem deixará o time será o meia Wendell.