A péssima campanha da seleção brasileira no Sul-Americano Sub-20 teve mais um tropeço nesta quinta-feira. Em Rancagua, no Chile, a equipe foi improdutiva no ataque e não saiu do 0 a 0 com Equador, pela penúltima rodada do hexagonal final, fase em que ainda não venceu. E já não tem mais chances de classificação aos Jogos pan-americanos.

O empate levou o Brasil aos dois pontos, em quinto lugar, já sem chance de classificação ao Pan de Lima, para o qual vão os três primeiros colocados. E com chances meramente remotas de ficar entre os quatro melhores, que vão disputar o Mundial Sub-20.

Para que isso seja possível, o Brasil precisa vencer a Argentina no domingo e ainda contar com duas derrotas da Venezuela, para a Colômbia, a partir das 23 horas (de Brasília) desta quinta, e para o Equador no fim de semana. Além disso, precisa que a Colômbia perca para o Uruguai no domingo. Nesse cenário, brasileiros, venezuelanos e colombianos ficariam com quatro pontos. E a definição do quarto colocado, que vai ao Mundial, se dará pelo saldo de gols.

De qualquer forma, o empate ampliou a péssima produção ofensiva da seleção no Sul-Americano Sub-20. Tanto que em oito jogos disputados, o Brasil marcou apenas cinco gols. E em cinco partidas não fez nenhum.

O JOGO – Foi mais uma atuação medíocre da seleção e que caracteriza a participação da equipe no Sul-Americano. Sem um esquema tático minimamente compreensível e com vários jogadores fracos tecnicamente, e ainda atrapalhados pelo nervosismo.

De volta de suspensão, Rodrygo foi o jogador brasileiro mais perigoso do Brasil no primeiro tempo. Interessado, recuava para buscar a bola, tentava acelerar o jogo, mas encontrava pouca companhia. Quando teve bom entendimento, quase marcou, após receber passe de Ramires e finalizou cruzado, para fora, aos 28 minutos.

Mas era muito pouco para superar a bem postada defesa do Equador, que não se expunha e conseguia neutralizar as ações ofensivas do Brasil. E ainda teve um gol anulado por impedimento na etapa inicial e outro no segundo tempo. Além disso, antes do intervalo, Phelipe fez boa defesa em cabeceio de Alvarado.

O cenário, aliás, não se alterou na segunda etapa, com o Brasil tendo a posse de bola, mas praticamente não criando chances de gol. E ainda levava sustos quando o Equador ia ao ataque, a ponto de ter levado uma bola no travessão em cabeceio de Plata.

Os equatorianos não marcaram e depois trataram de segurar o 0 a 0, resultado que os deixam muito perto da classificação ao Mundial Sub-20, torneio que dificilmente contará com a participação brasileira.