A seleção brasileira chegou a Belo Horizonte na noite deste domingo com muito tumulto. Em uma das cidades mais atingidas pelos protestos que ocorrem no País nos últimos dias, foi armado um forte esquema de segurança, o que não impediu que cerca de 200 torcedores fossem à frente do hotel para tentar algum tipo de contato com os jogadores.

A preocupação com a segurança era evidente e um fortíssimo esquema foi armado, com policiais militares e federais, além de profissionais contratados pela Fifa. Parte da imprensa inclusive foi barrada na entrada do hotel, o que só contribuiu para o clima tenso que envolveu a chegada.

Até para fugir desta confusão, os jogadores e a comissão técnica evitaram a porta principal do hotel, chegando por uma entrada alternativa. Enquanto boa parte das cerca de 200 pessoas apoiavam e entoavam cantos de apoio à equipe, principalmente a Neymar, uma minoria tentava protestar, inclusive com xingamentos a esses torcedores. “Quero educação, saúde, não quero Copa”, diziam.

Foi até o momento a chegada mais tumultuada da seleção brasileira a uma das cidades-sede desta Copa das Confederações. A equipe, que já enfrentou o Japão em Brasília, o México em Fortaleza e a Itália em Salvador, terá pela frente o Uruguai no estádio do Mineirão, pelas semifinais da competição, nesta quarta-feira, às 16 horas.

O primeiro treino de preparação para a partida contra os uruguaios acontecerá nesta segunda, na parte da tarde. Antes, será concedida uma entrevista coletiva no hotel.