O zagueiro Ezequiel Garay e o volante Lucas Biglia confessaram surpresa com a calorosa recepção que receberam na chegada ao Brasil. No desembarque da delegação, por exemplo, cerca de 150 torcedores saudaram a equipe na entrada do Centro de Treinamento do Atlético Mineiro. No treino aberto ao público, realizado na quarta-feira, cerca de sete mil torcedores foram ao Estádio Independência, em Belo Horizonte, e saudaram os jogadores, especialmente Messi e Di María.

“Ficamos surpresos, pois se trata da torcida de um rival sul-americano. Não esperávamos que fosse uma recepção tão calorosa”, disse o volante Biglia, que se recupera de uma lesão muscular e não vai participar do jogo de estreia contra a Bósnia, domingo, no Maracanã. “Foi uma recepção surpreendente e calorosa. Só temos de agradecer”, disse o zagueiro Ezequiel Garay, confirmado na equipe titular. A afirmação dos dois jogadores foi feita no início da tarde desta quinta-feira, durante entrevista coletiva na Cidade do Galo.

Nem a invasão dos torcedores no treino público assustou os jogadores argentinos, que trataram o episódio com bom humor. “Não ficamos assustados porque sabíamos que a procura era por um jogador só (no caso, Lionel Messi). Sabíamos que não era uma coisa ruim. Era apenas admiração”, afirmou Biglia. “Não é todo dia que os torcedores podem ver o melhor jogador do mundo. Temos de compreendê-los”, completou Garay.