O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, informou às autoridades chinesas que pode não ir à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, no próximo dia 8 de agosto. O sul-coreano alegou problemas de agenda.

"O secretário-geral falou com o governo chinês há alguns meses e não deve estar em condições de aceitar o convite para participar deste evento, que é muito importante, devido a problemas em seu calendário de atividades", disse a porta-voz Marie Okabe.

Ainda segundo Okabe, Ban Ki-moon pretende fazer uma visita de longa duração à China, ainda neste ano, em vez de ir ao país apenas para a abertura dos Jogos Olímpicos.

A ausência do secretário-geral deve ser mais uma na lista da cerimônia de abertura. Os conflitos dos chineses com o Tibete têm feito líderes de todo o mundo colocarem em dúvida sua participação no evento.

O primeiro ministro britânico, Gordon Brown, informou que não irá, também alegando problemas de agenda. A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, Nicolas Sarkozy já mostraram a intenção de não participar.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, tem sido pressionado por congressistas e pelos democratas Barack Obama e Hillary Clinton – pré-candidatos à Casa Branca – para não ir à China.