Acostumado a ser algoz, Luis Scola neste domingo indiretamente ajudou o Brasil. Único jogador da NBA na Copa América de Basquete, em Caracas, o pivô fez 28 pontos e comandou a virada da Argentina sobre o Canadá, por 73 a 67, pela última rodada, resultado que classificou os argentinos para o Mundial da Espanha, no ano que vem.

A ajuda indireta ao Brasil se dá porque quatro vagas serão distribuídas pela FIBA (Federação Internacional de Basquete) através de convites. Caso a Argentina não tivesse vencido e, consequentemente, classificado, era muito maior a possibilidade de os argentinos ficarem com um convite, em detrimento dos brasileiros.

Chamando a responsabilidade, Scola concluiu nada menos que 25 dos 80 ataques argentinos e anotou 28 pontos. O time dele, porém, ficou atrás do placar até o finalzinho do terceiro quarto. No último período, manteve a vantagem.

Além da Argentina, também se classificaram para o Mundial a República Dominicana, Porto Rico e a surpreendente seleção do México, que volta a um Mundial depois de um hiato de 40 anos.