Robert Scheidt voltou a mostrar nesta semana por que é o grande nome da vela no Brasil. De volta à classe Laser depois de oito anos, ele faturou com desempenho quase perfeito a Semana Brasileira de Vela, realizada na Baía de Guanabara, no Rio. Das 10 regatas, ele só não venceu uma, mesmo tendo como adversário Bruno Fontes, terceiro colocado do ranking mundial.

“Estou muito feliz com o meu desempenho em pouco tempo de treino. Velejei bem durante a semana, atingindo um nível muito bom”, festejou Scheidt, que, com o título garantido nesta sexta-feira, assegura um lugar na seleção brasileira, sendo bancado pela Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM).

O maior medalhista olímpico brasileiro exaltou seu desempenho no Rio. “O Bruno Fontes é hoje o terceiro do ranking mundial e está velejando muito bem. Vencê-lo mostra que tenho potencial ficar entre os três primeiros nos campeonatos no exterior. É muito legal, depois de oito anos afastado da Laser, poder voltar a velejar em alto nível”, disse Scheidt.

Companheiro dele entre 2004 e 2012 na classe Star, Bruno Prada não voltou tão bem à Finn. Ele ficou com o vice-campeonato da Semana de Vela, superado por Jorge Zarif, representante do País na classe nos Jogos de Londres/2012 e seu companheiro de treinos.

“Pelo meu desempenho na Semana Brasileira de Vela, e levando em consideração as outras competições que já disputei desde o início do ano, ficou claro para mim que eu tenho uma boa capacidade de competir em alto nível na Finn”, destacou Bruno Prada, que venceu apenas uma das 10 regatas.