Os velejadores brasileiros Robert Scheidt e Bruno Prada terminaram a fase de classificação da Star Sailors League Finals na segunda colocação. Assim, eles avançaram entre os 11 barcos que seguem vivos na disputa pelo título da competição da classe Star, que acontece em Nassau, nas Bahamas. As três regatas decisivas, que vão apontar o campeão, serão realizadas neste sábado.

Depois da disputa nesta sexta-feira das três últimas regatas – tinham sido seis nos dois dias anteriores -, os suecos Fredrik Loof e Anders Ekstrom, atuais campeões olímpicos da Star, alcançaram a liderança. Assim, eles avançaram direto para as semifinais da competição, sem precisar passar pelas quartas de final, que terá a participação do segundo ao 11º colocados.

Na regata das quartas de final, apenas os seis melhores avançam e se juntam ao barco sueco para a disputa das semifinais. Aí, na sequência, o grupo de sete semifinalistas será reduzido para quatro finalistas, quando, então, acontecerá a definição do campeão. Além de Scheidt e Bruno Prada, o Brasil terá Jorge Zarif e Henry Boening, em quinto lugar, na luta pelo título.

Atuais campeões da Star Sailors League Finals, competição criada no ano passado para manter a Star em evidência após ter saído do programa olímpico, Scheidt e Bruno Prada tiveram um dia complicado nesta sexta-feira. Eles não conseguiram largar na primeira regata do dia, por causa de problemas no barco, e ficaram com 21 pontos perdidos, resultado que usado como o único descarte.

“Estourou um cabo de aço que dá sustentação à vela bem na proa do barco. Tivemos de improvisar e fomos bem sucedidos. Quando terminamos, os barcos já estavam acabando a regata. Levamos 45 minutos para concluir o reparo”, contou Bruno Prada. “Foi um estresse a bordo. Optamos por um conserto mais demorado, perdendo a largada, porém, mais eficiente”, completou Scheidt.

Com o conserto do barco, eles se recuperam nas duas regatas seguintes, com uma vitória e um segundo lugar entre os 20 participantes. Assim, mantiveram a vice-liderança do campeonato, com 28 pontos perdidos, apenas dois atrás dos suecos. “Foi um dia difícil. Estou satisfeito com o resultado, mas não ainda com nossa velocidade”, afirmou Scheidt, já pensando na fase decisiva.

Ao lado de Bruno Prada, Scheidt tem três títulos mundiais e duas medalhas olímpicas na Star. Ele passou a dar prioridade à classe Laser nos últimos tempos, por causa da Olimpíada do Rio em 2016, mas reencontrou o antigo parceiro para buscar o bicampeonato da Star Sailors League Finals. Neste sábado, portanto, tem a chance de somar mais um troféu para sua coleção.