Yokohama – Com um gol num pênalti duvidoso e de virada, o Saprissa, da Costa Rica, conquistou o terceiro lugar do Mundial de Clubes da Fifa, com a vitória por 3 a 2 sobre o Al-Ittihad, da Árabia Saudita, ontem pela manhã.

Depois de um início fraco, o jogo esquentou aos 13 minutos, quando Saborio recebeu lançamento, matou no peito e abriu o placar para o Saprissa. Depois disso, o time costa-riquenho recuou e passou a tentar articular contra-ataques.

De tanto pressionar, o Al-Ittihad conseguiu o empate. Kallon teve que chutar duas vezes para igualar o marcador aos 28. Ainda na etapa inicial, o jogador, que tem contrato com a Inter de Milão, assustou novamente. Ele bateu uma falta aos 31 minutos, que explodiu na trave.

No segundo tempo, o jogo ganhou dinamismo. Logo aos oito minutos, o camaronês Job converteu uma cobrança de pênalti e pôs o time saudita na frente do placar. A partir daí, o Saprissa voltou a pressionar. Faltando pouco mais de cinco minutos para o final da partida, o árbitro marcou pênalti duvidoso a favor da equipe da Costa Rica, permitindo o empate e lançando o jogo num momento dramático.

Aos 42 minutos, novo revés para a equipe saudita, com a expulsão de Al Montashari, numa falta marcada perto da área e prontamente convertida em bela cobrança de Ronald Gomez, aos 44. O Saprissa, que nos dois lances virou o jogo, transformou o que seria uma derrota numa surpreendente vitória. E garantiu assim a terceira posição do torneio.

Jogadores comemoram feito histórico

Yokohama – Os jogadores do Deportivo Saprissa deixaram o gramado do Estádio Internacional de Yokohama com uma certeza: são fortes candidatos a virarem heróis na Costa Rica. O terceiro lugar no Mundial de Clubes foi um feito inédito para o país e será celebrado com muita pompa.

O meia-atacante Saborio, autor de dois gols da vitória por 3 a 2 sobre o Al-Ittihad, considerou o resultado ?algo histórico para o país?. ?Pudemos reverter uma partida que já estava saindo de nossas mãos?, disse, lembrando que os árabes venciam o jogo quando restavam cinco minutos para o fim.

Já o atacante Gomez, que fez o gol decisivo em uma bela cobrança de falta, revelou que entrou no jogo durante o segundo tempo com a missão de desequilibrar. ?Minha missão era marcar o gol de empate e forçar a definição por pênaltis?, contou. Saiu melhor que a encomenda.