Nas cinco primeiras rodadas do Brasileirão, o São Paulo manteve os 100% de aproveitamento ao se defender bem e ser preciso quando chegava ao ataque. Depois de três derrotas e da demissão de Paulo César Carpegiani, a proposta tricolor voltou a surtir efeito neste domingo. No Beira Rio, o time paulista fez uma excelente primeira etapa, dominando o meio-campo, abriu 2 a 0 no Internacional, segurou o resultado, ampliou para 3 a 0 nos acréscimos do segundo tempo, e chegou à sua sétima vitória no Brasileirão.

A vitória recoloca o São Paulo na vice-liderança provisória, com 21 pontos. O Flamengo, que joga quarta-feira contra o Palmeiras, ainda pode retomar o posto até o fim da rodada. O Inter, com 15, caiu para oitavo. No sábado que vem, contra o Atlético-GO, o time paulista já não vai mais poder contar com Casemiro, que vai para o Mundial Sub-20, mas deverá ter o retorno de Lucas, eliminado da Copa América com a seleção.

Esta foi a última partida de Milton Cruz no comando do São Paulo. Adilson Batista, anunciado no sábado, esteve em Porto Alegre conversando com os jogadores antes do jogo e assistiu a partida das arquibancadas do Beira Rio. O interino deixa o comando com duas vitórias contra rivais diretos pelo título: Cruzeiro e Internacional.

O JOGO – Não foi desta vez que o São Paulo pôde repetir uma escalação. O time que venceu o Cruzeiro no final de semana passado estava escalado para jogar no Beira Rio, mas Marlos passou mal durante a noite no hotel e foi vetado, sendo foi substituído por Fernandinho. O time mostrou bastante entrosamento, apesar de Casemiro, um dos principais nomes da equipe, ter passado a semana com a seleção sub-20. Já o Inter, exatamente por já ter usado sua cota de dispensas da sub-20, teve os desfalques de Juan e Oscar. Zé Roberto, suspenso, também não foi para o jogo. Por isso, Alex e Ricardo Goulart foram titulares.

No primeiro tempo, prevaleceu o meio-campo dos paulistas. O São Paulo, que vem procurando reforços para o setor, viu uma atuação quase perfeita de Rodrigo Souto, Wellington, Casemiro e Rivaldo. Marcava e saía para o jogo com qualidade.

Aos 14 minutos, Rogério Ceni bateu falta da entrada da área, no ângulo esquerdo, mas Muriel fez a defesa. Em outra jogada de bola parada, o goleiro colorado nada pôde fazer. Rivaldo cobrou falta na cabeça de Casemiro, que testou firme no segundo pau, sem marcação, para abrir o placar.

O Inter quase empatou aos 28 minutos. Nei cruzou, Damião cabeceou e Rhodolfo tirou em cima da linha. Alex também tentou, mas Xandão travou o chute dele.

No contra-ataque, o São Paulo chegou ao segundo gol. Fernandinho foi lançado em profundidade pela esquerda, invadiu a área, saiu na cara de Muriel e encobriu o goleiro com um leve toque na bola. Belo gol do atacante criticado exatamente pelos poucos gols que marca.

Vendo que o São Paulo dominava o jogo em pleno Beira Rio, Paulo Roberto Falcão decidiu colocar o Inter mais no ataque. Trocou Bollatti por Elton e Ricardo Goulart por Fabrício ainda no intervalo. As alterações fizeram efeito, até porque os visitantes recuaram.

A zaga tricolor, porém, estava em noite inspirada. Rogério Ceni também, tanto que foram duas as grandes defesas. Aos 16, numa batida forte de D’Alessandro. Depois, aos 29, em um chute rasteiro de Leandro Damião, no canto direito.

Mostrando que o clima é outro no São Paulo, Rivaldo, substituído para dar lugar à estreia de Cícero, continuou depois no banco de reservas, ajudando Milton Cruz a orientar a equipe. Nos acréscimos, Jean cruzou da direita, Nei furou e Carlinhos, que entrara no lugar de Fernandinho, fez o terceiro.

FICHA TÉCNICA:

Inter 0 x 3 São Paulo

Inter – Muriel; Nei, Índio, Bolívar e Kléber; Bollatti (Elton), Guiñazu, D’Alessandro e Ricardo Goulart (Fabrício); Alex (Gilberto) e Leandro Damião. Técnico: Paulo Roberto Falcão.

São Paulo – Rogério Ceni; Jean, Xandão, Rhodolfo e Juan; Rodrigo Souto, Wellington, Casemiro e Rivaldo (Cícero); Fernandinho (Carlinhos) e Dagoberto. Técnico: Milton Cruz (interino).

Gols – Casemiro, aos 19, e Fernandinho, aos 39 minutos do primeiro tempo. Carlinhos, aos 48 minutos do segundo tempo.

Árbitro – Wagner Reway (MT).

Cartões amarelos – Fabrício, Índio, Bolívar, Kléber, Leandro Damião e Rhodolfo.

Renda e público – Não disponíveis.

Local – Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.