O técnico Muricy Ramalho queria terminar a primeira parte do Campeonato Brasileiro na liderança antes da paralisação da Copa do Mundo. Não conseguirá, mas caso o São Paulo vença o Atlético Mineiro, neste sábado, às 18h30, no estádio do Morumbi, pela nona rodada, tem boas chances de se manter no pelotão da frente e voltar em condições de brigar pela ponta.

A julgar pelos adversários e descontando-se as performances instáveis, o time tricolor até que pode comemorar. Atualmente na oitava posição (a apenas três pontos do líder Cruzeiro), fará o quinto jogo em nove rodadas contra adversários mais bem colocados. “Quando olhamos para a tabela e vimos os times, sabíamos que iríamos sofrer um pouco, como de fato aconteceu”, ponderou o treinador, que chegou a dizer após o empate contra o Atlético Paranaense que só estaria feliz se o time tivesse conquistado 100% dos pontos disputados.

Se de um lado os donos da casa patinam, do outro terão um rival que parece ter se recuperado das turbulências após a eliminação da Copa Libertadores e já somam cinco jogos invictos. “Eles voltaram com tudo. É um plantel muito forte e que certamente vai brigar na parte de cima da tabela. Estamos no bolo e precisamos nos impor”, disse Muricy Ramalho. De consolo, resta comemorar os desfalques de Victor e Jô, com a seleção, Ronaldinho Gaúcho, lesionado, e Alex Silva e Leandro Donizete, suspensos.

O grande drama segue sendo o alto número de falhas defensivas, mais uma vez expostas no meio de semana contra o Atlético. Muricy Ramalho já deixou claro que essa será uma das prioridades para a pausa na Copa do Mundo, mas espera pelo menos que o time consiga neutralizar o adversário. “Temos que parar de sofrer tantos gols, isso é claro. Nosso setor ofensivo está dando conta, mas precisamos melhorar defensivamente como time, não apenas um jogador ou um setor específico”.

Com uma série de desfalques por causa de convocações para as seleções de base, o São Paulo ao menos comemora o retorno de Maicon após cumprir suspensão contra o Atlético. Sem o meia, o time perdeu qualidade na saída de bola e fez uma apresentação tão ruim que nem mesmo Muricy Ramalho aguentou e classificou o desempenho como “horrível”. A expectativa, agora, é de que o rendimento seja melhor e mais competitivo.

Além dos desfalques de Rodrigo Caio, Ademilson, Lucas Evangelista e Auro (com as seleções de base) e Alvaro Pereira (que está se preparando com o Uruguai para a Copa do Mundo), Muricy Ramalho ganhou mais dois problemas para compor o elenco: Boschilia e Ewandro foram chamados para defender a seleção sub-20 na Panda Cup, na China. O meia entrou contra o Atlético e foi um dos destaques. “Se os jogadores não são convocados, a gente reclama; se são, a gente reclama também. Temos que ver que isso é importante para eles”, finalizou.