O São Paulo precisou de 11 minutos de bom futebol para furar a retranca do Botafogo e vencer por 3 a 1, neste domingo, pelo Campeonato Paulista. Mesmo atuando em Ribeirão Preto, os botafoguenses se fecharam na defesa e conseguiram segurar o adversário até os 28 minutos da etapa final, quando Lúcio marcou o primeiro. Pouco depois, Aloísio e Ademilson definiram o resultado de uma partida que ficou marcada mais pelas confusões em campo do que pelo futebol apresentado. Dimba descontou nos acréscimos.

O resultado fez o líder São Paulo chegar aos 38 pontos, abrindo quatro de vantagem para a Ponte Preta e ainda com um jogo a menos. A equipe volta a campo diante do União Barbarense na quarta-feira, fora de casa, em jogo atrasado da quarta rodada. Já o Botafogo parou nos 28 pontos, na sétima posição, e pega o Bragantino, novamente em casa, domingo que vem.

Neste domingo, Ney Franco entrou em campo com uma equipe mista. Rogério Ceni, Rafael Tolói, Edson Silva, Paulo Miranda, Thiago Carleto, Denilson e Paulo Henrique Ganso foram poupados. Jadson e Osvaldo atuaram pela seleção brasileira no sábado, e Luis Fabiano, machucado, também foi desfalque.

O primeiro tempo da partida foi muito nervoso, cheio de faltas duras e discussões. Como resultado, foram cinco cartões amarelos distribuídos nos primeiros 45 minutos, além do vermelho mostrado ao volante Zé Antônio. Ele deu um carrinho forte, por trás, em Douglas e foi expulso por Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza.

As confusões e o clima em campo prejudicavam o andamento da partida, que teve pouca emoção na etapa inicial. A primeira e melhor oportunidade do São Paulo no primeiro tempo surgiu aos 18 minutos. Wallyson recebeu pela direita e cruzou para Cañete, que chegou um pouco atrasado e não conseguiu tocar para o gol vazio.

O lado direito era por onde o São Paulo mais atacava e a equipe voltou a levar perigo por ali. Aos 33 minutos, Douglas levou a melhor sobre a zaga e tocou para Cañete. O argentino dominou na entrada da área e tentou colocar, mas acabou jogando para fora. Mesmo com um homem a mais, os visitantes tinham muita dificuldade para criar e não conseguiam tirar proveito da vantagem numérica.

As equipes voltaram do vestiário com os ânimos mais calmos, mas o futebol continuava o mesmo. Com um a menos, o Botafogo se limitava a defender, enquanto o São Paulo seguia sem conseguir criar boas jogadas. Com isso, Ney Franco decidiu mexer e colocou Maicon e Aloísio nas vagas de Fabrício e Cañete.

Logo após a mudança, o Botafogo perdeu mais um jogador expulso: André, por falta em Ademilson aos 16 minutos. Não deu tempo para aproveitar, porque três minutos mais tarde seria a vez de o São Paulo perder uma peça. Rodrigo Caio fez falta em Danilo Bueno, recebeu o segundo amarelo e também foi expulso.

O panorama do jogo não se alterava e, assim, o gol só poderia sair em uma jogada de bola parada. Aos 28 minutos, Lúcio cobrou falta da intermediária com força, mas no meio do gol. O goleiro Rafael Santos falhou, não conseguiu tocar nela e o São Paulo abriu o placar.

O gol abriu espaços na defesa do Botafogo e o segundo não demoraria a sair. Aos 34 minutos, Wellington arrancou pelo meio e tocou para Aloísio. O atacante girou sobre a marcação e bateu forte para marcar. Mais cinco minutos e Ademilson marcou o terceiro, depois de passar por dois zagueiros e tocar no canto direito. Aos 47, Dimba fez o gol de honra dos anfitriões.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 10 X 3 SÃO PAULO

BOTAFOGO – Rafael Santos; Igor, Cris (Dimba) e Preto Costa; Daniel Borges, André, César Gaúcho, Zé Antônio, Danilo Bueno e Giovanni; Nunes (Francis). Técnico: Marcelo Veiga.

SÃO PAULO – Dênis; Rodrigo Caio, Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Fabrício (Maicon), Douglas e Cañete (Aloísio); Wallyson e Ademilson. Técnico: Ney Franco.

GOLS – Lúcio, aos 28, Aloísio, aos 34, Ademilson, aos 39, e Dimba, aos 47 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Rafael Santos, André, Nunes, César Gaúcho (Botafogo); Rodrigo Caio, Lúcio, Fabrício (São Paulo).

CARTÃO VERMELHO – Zé Antônio, André (Botafogo); Rodrigo Caio (São Paulo).

ÁRBITRO – Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP).

RENDA – R$ 541.020,00.

PÚBLICO – 14.680 pagantes.

LOCAL – Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP).