Neymar avisou que “o bicho vai pegar” no jogo de volta da primeira fase da Copa do Brasil contra o Flamengo-PI, nesta quarta-feira, às 22 horas, na Vila Belmiro. E quando Neymar promete é bom não duvidar. Depois de ter marcado os quatro gols da vitória contra o União Barbarense, no sábado passado (teve mais um anulado, por impedimento, e mandou uma bola na trave), o atacante pode repetir o que fez contra o Naviraiense-MS, na edição de 2010 da competição. No jogo de ida, a vitória santista foi por apenas 1 a 0 e, na volta, Neymar comandou o time na goleada por 10 a 0. Resultado que colocou o clube sul-mato-grossense no mapa do futebol.

A comissão técnica e os principais líderes do time consideram o jogo desta quarta como um ensaio para as fases decisivas do Campeonato Paulista. Também será a primeira decisão do Santos na temporada, que terá a vantagem de se classificar com vitória simples ou empate por 0 a 0 ou 1 a 1. Caso se repita o resultado (2 a 2) de Teresina, a vaga será decidida na cobrança de pênaltis.

Ainda não se sabe se o técnico Muricy Ramalho vai manter o esquema com três atacantes – Giva, Neymar e Patito Rodriguez – ou se voltará ao 4-4-2 para encaixar Arouca (recuperado de lesão), ao lado de Renê Júnior, Cícero e Montillo. Como o ex-ponte-pretano se queixou de dores musculares após o jogo em Santa Bárbara d’Oeste, o treinador pode optar pela troca simples de Renê Júnior por Arouca e manter Alan Santos, que marca melhor, na lateral direita. Ou então tirar Patito para a entrada de Arouca, adotando formação mais conservadores para não correr riscos de surpresas.

De qualquer forma, Arouca vai jogar. Léo, que foi poupado do jogo de sábado passado, também volta, além de Muricy Ramalho, que não dirigiu o time em Teresina e em Santa Bárbara d´Oeste em razão de uma crise de diverticulite.

Um forte motivo para o treinador manter o esquema da última partida é que Neymar voltou a ser goleador atuando perto da área, mais centralizado, tendo a companhia de dois atacantes de lado de campo. Como o adversário é bem inferior tecnicamente, também seria a oportunidade de ensaiar um esquema que poderá ser útil nos mata-matas do Paulistão, se a equipe estiver em desvantagem no marcador.

“Qualquer esquema é bem-vindo”, disse o capitão Edu Dracena, após o treino desta terça, no CT Rei Pelé. “O Santos já jogou com duas linhas de quatro e agora está testando três na frente. É preciso encaixar as peças, não é por ter jogador de qualidade, que decide, que o time vai se entrosar. Seria necessária uma sequência de quatro ou cinco jogos, mas isso não é possível. Se empatar ou perder, o torcedor cobra porque quer saber do resultado”.

O zagueiro também lembrou que o Santos se dá bem em mata-matas. “O único jogo nesse tipo de disputa que perdemos foi contra o Corinthians, na semifinal da Libertadores do ano passado”, concluiu.