Ainda não será contra o Vasco, nesta quarta-feira, às 21h50, em São Januário, que o Santos terá a volta de Adriano para reforçar a marcação no meio de campo e proteger a defesa. O volante participou do treino com bola dos reservas na última segunda, mas o exame de diagnóstico por imagem a que se submeteu nesta terça constatou que a lesão na coxa esquerda ainda não está totalmente cicatrizada. O desfalque, aparentemente sem importância, faz toda a diferença depois das derrotas contra o Flamengo, na Vila Belmiro, e o Atlético Paranaense, em Curitiba.

Além disso, desde que Adriano, o menos badalado dos campeões da América, sofreu a lesão, a defesa santista não se encontrou mais e a eficiência de sua dupla de zagueiros volta a ser questionada. Sem outro jogador com características semelhantes no momento, o técnico Muricy Ramalho é obrigado a manter o time. O que vai mudar é a função dos meias Elano e Ibson. Os dois vão se posicionar mais atrás para ajudar Arouca na tarefa de impedir que os meias vascaínos iniciem as jogadas de gol do adversário.

O Santos vive uma situação inusitada. Mesmo com a queda de produção de Paulo Henrique Ganso, do meio para frente o time está melhor do que o que conquistou a bi paulista e a Copa Libertadores da América. Neymar superou a decepção da desclassificação da seleção brasileira diante do Paraguai na Copa América e já joga outra vez como nos melhores momentos da sua curta carreira.

Antes do treino desta terça, o único antes de enfrentar o Vasco, Muricy reuniu os jogadores no meio de campo e adotou o recurso que mais condena em outros treinadores. Fez uma curta palestra na linha da auto ajuda. “Foi uma conversa de motivação e para passar confiança”, contou Borges.

O Santos é o 17.º da classificação, com 11 pontos em 30 disputados (10 jogos) – três vitórias, dois empates e cinco derrotas – e aproveitamento de 36,7%. Como disputou três jogos menos que a maioria dos concorrentes, a sua média é superior a de clubes que estão a sua frente, como Atlético Mineiro, Atlético Goianiense e Grêmio.