Sem chances de título no Brasileirão, o Santos pode ao menos comemorar a vaga direta na fase de grupos da próxima Copa Libertadores. A classificação antecipada veio com goleada, na noite deste sábado, sobre o Cruzeiro por 4 a 1, na Vila Belmiro, pela 34ª rodada. Com o tropeço, a equipe mineira pode acabar a rodada dentro da zona do rebaixamento.

Marinho e Soteldo comandaram a 20ª vitória santista no campeonato, com gols e assistências, que envolveram a defesa cruzeirense do início ao fim do jogo. Invicto há sete jogos, o Santos assumiu provisoriamente a vice-liderança da tabela ao chegar aos mesmos 68 pontos do Palmeiras (recebe o Grêmio no domingo), porém com maior número de triunfos.

Há cinco jogos sem vencer, o Cruzeiro vive situação oposta, brigando para escapar do rebaixamento. Ao estacionar nos 36 pontos, a equipe comandada por Abel Braga segue no 16º lugar, mas pode terminar a rodada na zona da degola, se o Fluminense vencer o CSA, fora de casa, na segunda-feira.

Na próxima rodada, o Santos vai visitar o Fortaleza na Arena Castelão, na quinta-feira. E o Cruzeiro tentará se reabilitar diante do CSA, no mesmo dia, no Mineirão.

O JOGO – Como de costume, o Santos acelerou o duelo desde o início, tentando sufocar o Cruzeiro. Com facilidade, dominou o meio-campo e trocava passes com rapidez. Mas foi o Cruzeiro quem saiu frente. Aos 13 minutos, o lateral Orejuela recebeu na entrada da área, cortou rapidamente para a esquerda e bateu rasteiro no canto direito do goleiro Everson.

O gol não desacelerou o Santos. Sem arrefecer sua postura ofensiva, o time da casa buscou o empate dez minutos depois. Uma bela linha de passes, começando com Sánchez pela direita, contornou a área cruzeirense até a finalização de Sasha direto para as redes.

Após o empate, o Santos se manteve no campo de ataque. E desperdiçou seguidas oportunidades, com Sánchez aos 26, e Soteldo, aos 27. Marinho, aos 29, chegou ainda mais perto do segundo gol ao acertar a trave. Antes do intervalo, Gustavo Henrique cabeceou para as redes, após cobrança de falta na área. Mas a arbitragem anulou o lance, corretamente, por impedimento, aos 46.

Do outro lado, o Cruzeiro só assustou uma única vez depois de abrir o placar. Foi aos 42, quando David caprichou no chute de fora da área e mandou rente ao travessão. E assim continuou no segundo tempo, diante de um Santos que não se cansava de buscar o ataque.

O maior volume de jogo santista começou a se traduzir em vitória a partir dos 14 minutos. Marinho recebeu de Sánchez pela direita, avançou em jogada individual e bateu de fora da área: 2 a 1. Cinco minutos depois, o mesmo Marinho cruzou da direita, Sasha furou e a bola sobrou para Soteldo só completar para as redes.

Pelas contas do Santos, o venezuelano marcou o milésimo gol da equipe na era dos pontos corridos do Brasileirão. Logo na sequência, aos 21, o atacante quase anotou o quarto ao finalizar para fora, rente à trave direita de Fábio.

O terceiro gol fez o que parecia impossível desde o começo do jogo: sossegou o Santos. O time diminuiu o ritmo também em função da forte chuva que passou a cair na Vila Belmiro a partir dos 35 minutos.

O Cruzeiro, por sua vez, oferecia pouco trabalho aos anfitriões. Abel colocou Ezequiel e Marquinhos Gabriel nas vagas de Robinho e Thiago Neves. Porém, sem o efeito esperado. O time mineiro quase não resistia e oferecia raro perigo ao gol de Everson.

Mesmo em ritmo mais lento, o time da casa chegou ao quarto gol aos 44 minutos do segundo tempo. Diego Pituca, que entrara em campo poucos minutos antes, completou com facilidade cruzamento de Evandro, pela direita, e sacramentou a goleada.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 4 x 1 CRUZEIRO

SANTOS – Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Felipe Jonatan (Luan Peres); Alison, Carlos Sánchez e Evandro; Marinho, Eduardo Sasha (Diego Pituca) e Soteldo (Kaio Jorge). Técnico: Jorge Sampaoli.

CRUZEIRO – Fábio; Orejuela, Cacá, Fabrício Bruno e Egídio; Henrique, Éderson, Robinho (Ezequiel) e Thiago Neves (Marquinhos Gabriel); David e Sassá (Joel). Técnico: Abel Braga.

GOLS – Orejuela, aos 13, e Sasha, aos 23 minutos do primeiro tempo. Marinho, aos 14, Soteldo, aos 19, e Diego Pituca, aos 44 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Gustavo Henrique, Egídio, Marinho.

ÁRBITRO – Leandro Pedro Vuaden (RS).

RENDA – R$ 266.944,00.

PÚBLICO – 7.905 pagantes.

LOCAL – Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).