Santos (AE) – Desta vez, o fantasma da LDU não rondou a Vila Belmiro. Depois de dificultar a classificação do Santos na Copa Libertadores do ano passado e eliminar o atual campeão brasileiro da Copa Sul-Americana, o time equatoriano não suportou Robinho, que estava em noite inspirada. O atacante fez dois gols e liderou o time santista na vitória por 3 a 1, nesta quarta-feira à noite, pela quarta rodada do grupo 2 da Copa Libertadores da América.

Com esta boa vitória em casa, o Santos soma 6 pontos e se iguala ao Danubio, do Uruguai, e à própria LDU. Os uruguaios levam vantagem no saldo de gols: 4 contra 2 dos santistas. Duas equipes de cada chave vão se classificar para as oitavas-de-final da Libertadores.

O Santos começou sofrendo com o estigma de atuar mal diante da LDU. Logo aos 2 minutos, Urrutia surgiu como um raio no meio da área santista e tocou sem defesa para o goleiro Henao abrindo o placar.

O time do técnico Gallo sentiu o golpe. Urrutia quase ampliou, aos 7 minutos, mas o goleiro colombiano Henao fez ótima defesa. O mesmo atacante da LDU ainda teve mais uma chance, aos 10, mas falhou.

Os selecionáveis Ricardinho e Robinho não apareciam para organizar as jogadas. Então, os volantes Zé Elias e Bóvio ficaram com esta obrigação, mas não tinham competência.

Sem acertar os passes e com pouca movimentação, as bolas eram alçadas e facilitavam o trabalho da defesa equatoriana, sempre bem postada. O contra-ataque da LDU saía rápido e levava perigo ao gol de Henao.

Mas, aos 20 minutos, Robinho começou a jogar. Numa bobeada da defesa da LDU, Ricardinho fez sua função e lançou Robinho. O atacante passou por dois zagueiros e chutou. A bola ainda tocou na trave antes de entrar. A partir daí, a força ofensiva da LDU diminuiu e o Santos ganhou volume de jogo.

Sempre com Robinho na armação, Deivid cansou de perder chances. Fabinho até recebeu um passe de letra do camisa 7 santista, mas falhou na finalização.

No último lance do primeiro tempo, um paradoxo. Bóvio fez jogada de craque e de calcanhar encontrou Robinho livre dentro da área. O melhor jogador do Brasil matou mal e chutou ainda pior.

"Tenho certeza. Vamos virar o placar", disse Deivid antes de ir para o vestiário no intervalo. E a profecia do atacante se confirmou logo aos 2 minutos. Ricardinho cobrou falta com maestria: 2 a 1.

O técnico Oblitas buscou ganhar um melhor toque de bola, ao colocar, aos 10 minutos, o experiente Aguinaga, de 36 anos. Mas o Santos tinha Robinho. Aos 16, em um cruzamento de Paulo César, pela direita, Deivid voltou a falhar na finalização, mas a bola sobrou para Robinho conferir de cabeça e fazer o segundo dele, o terceiro do Santos.

Endiabrado, Robinho iniciou um show na metade do segundo tempo. Em dois minutos, ele criou três grandes oportunidades de marcar. Nas duas que finalizou, o goleiro Mora impediu o gol. Quando serviu Ricardinho, viu o capitão acertar a trave equatoriana.

Com a vantagem, Robinho relaxou e a LDU encontrou espaços na desatenta defesa santista. Exceção ao goleiro Henao, que ratificou a posição de titular.

Aos 42, Robinho saiu para a entrada de William. Horacio Elizondo poderia ter encerrado o jogo ali e evitaria a torcida santista de ver William perder mais um gol feito.

Restam duas rodadas para o fim da primeira fase da Libertadores. O Santos viaja para enfrentar o Danubio, no Uruguai, dia 20, e recebe na última rodada o Bolívar, dia 11 de maio, na Vila Belmiro. Quatro pontos devem garantir o time de Robinho entre os 16 melhores da competição.

Gols: Urrutia, aos 2, e Robinho, aos 20 minutos do 1.º tempo. Ricardinho, aos 2, e Robinho, aos 16 do 2.º

Santos: Henao; Paulo César, Ávalos, Halisson e Léo; Fabinho, Zé Elias (Leonardo), Bóvio (Rossini) e Ricardinho; Robinho (William) e Deivid. Técnico: Gallo.

LDU: Mora; Reasco, Espíndola, Espinoza e Ambrossi; Obregon, Mendez, Palacios (Aguinaga) e Urrutia; Garcia (Salas) e Granziani.

Técnico: Juan Carlos Oblitas.

Juiz: Horacio Elizondo (ARG).

Cartão amarelo: Não teve.

Renda e público: Não divulgados.

Local: Vila Belmiro, em Santos.