O Santos vai precisar que Neymar volte a ser Neymar, depois da apagada atuação do seu maior talento em Buenos Aires, para despachar o Vélez Sarsfield, da Argentina, nesta quinta-feira, às 20 horas, na Vila Belmiro, e avançar às semifinais da Copa Libertadores. Paulo Henrique Ganso vai fazer uma artroscopia no joelho direito nesta sexta e deverá ficar 20 dias em recuperação, mas está escalado para enfrentar os argentinos.

O jogo desta quinta é o primeiro grande desafio a ser superado pelo tricampeão paulista na principal competição sul-americana deste ano. Como perdeu por 1 a 0 no jogo de ida das quartas de final, será necessário vencer por dois ou mais gols de diferença para ficar com a vaga. Em caso de vitória por 1 a 0, a decisão será na disputa de pênaltis.

A situação é difícil, mas a classificação continua ao alcance do time que tem Neymar, Paulo Henrique Ganso e Arouca. O que não se pode imaginar é uma resposta semelhante à que foi dada ao Bolívar nas oitavas. Depois de perder em La Paz, na Bolívia, e sofrer com a altitude dos quase 3.700 metros e com as provocações da torcida local, o troco santista foi dado na Vila Belmiro com a goleada por 8 a 0.

Agora, a situação é bem mais difícil porque equipes argentinas sabem como se comportar como visitante, são especialistas na marcação e em cadenciar o jogo, com troca de passes, principalmente quando estão na frente no marcador, como no jogo desta quinta.

Mas o Santos não será apenas Neymar. O treinador e todos os jogadores ouvidos escolheram o lendário Alçapão da Vila para ser o palco da virada. Houve enorme confusão na venda pela internet dos cinco mil ingressos destinados aos sócios do clube, o que indica que o torcedor acredita na reversão da vantagem dos argentinos, vai lotar o estádio e procurar desestabilizar o adversário.

Apesar de Maranhão ter se recuperado de uma leve lesão muscular na coxa direita – atuou no segundo tempo do Santos contra o Bahia, no último domingo -, Muricy Ramalho decidiu manter o volante Henrique improvisado na lateral direita. De resto, o time será o dos últimos jogos, com Alan Kardec ao lado de Neymar no ataque, enquanto que Borges continuará na reserva.