Leão diz que brasileiro
está mais para “novela”.

Santos e Paysandu buscam hoje em Belém a primeira vitória no campeonato brasileiro e o time santista está preparado para enfrentar uma dificuldade a mais, segundo o técnico Leão: “O torcedor vai comparecer e exigir um pouco mais, o que fará o adversário acelerar o ritmo”.

Essa condição faz com que o Santos seja cauteloso, mas pode vir a ser favorecido na medida em que serão abertos espaços para os rápidos contra-ataques dos Meninos da Vila. Leão não está preocupado com o andamento do brasileiro, pois só foram disputadas duas das 46 partidas previstas. “Nunca vi um campeonato que dura nove meses e isso para mim não é campeonato, é uma novela”, disse Leão.

Portanto, ele não se arrisca ainda a qualquer palpite sobre a competição. Avalia que sua equipe vem apresentando uma evolução e considerou o empate contra o Atlético-MG o melhor jogo da temporada, já que o time atuou 70 minutos com dez jogadores, soube segurar a pressão do adversário e criou chances de gol que poderiam ter garantido a vitória.

Para o jogo contra o Paysandu, ele vai voltar ao esquema antigo, com Michel na lateral-direita e Elano na meia, já que Nenê irá cumprir suspensão automática pela expulsão no jogo de sábado. “Espero que o Michel tenha uma boa performance”, disse o treinador, que havia deslocado Elano para a lateral por estar insatisfeito com o desempenho de Michel e de Reginaldo Araújo, os dois jogadores da posição.

Elano não se importa com a volta ao meio-de-campo, depois de ter se entusiasmado com as perspectivas que jogar na lateral abrem para sua carreira, por ser uma posição com poucos destaques no futebol brasileiro. “Voltando para a meia, espero marcar meu gol”, disse ele, ressaltando que o fato de estar aprendendo a desempenhar outra função é importante para sua vida no futebol, “que está começando agora”, e valoriza sua carreira profissional.

Mesmo empatando as duas partidas disputadas até aqui, Diego entende que não há uma cobrança por parte do torcedor porque “na Vila, houve a incompetência da arbitragem, que deixou de marcar dois pênaltis e contra o Atlético, os jogadores foram heróis dentro de campo, com o time jogando quase o tempo todo com dez atletas”.

Os jogadores do Santos esperam uma partida difícil em Belém. “Se o Paysandu tivesse ganho o último jogo, seria mais fácil para nós”, disse o volante e capitão Paulo Almeida. Mas, como o técnico Leão, ele espera que o adversário abra um pouco sua defesa, proporcionando espaço para o rápido contra-ataque, uma caractetística do time santista.

Santos: Fábio Costa; Michel, André Luís, Alex e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego; Robinho e Ricardo Oliveira. Técnico: Leão.