A Alemanha decidiu nesta quarta-feira deixar um atleta amputado do salto em distância fora da sua equipe para o Campeonato Europeu de Atletismo, dizendo que a prótese de fibra de carbono de Markus Rehm usa na perna direita lhe dá uma vantagem injusta. O campeão parlímpico faturou o título alemão da prova no último fim de semana com a marca de 8,24 metros.

Como campeão alemão, seria natural que ele participasse do Campeonato Europeu, entre os dias 12 e 17 de agosto em Zurique, mas isso não vai acontecer, decidiu a Federação Alemã de Atletismo. “Acho que é uma pena e decepcionante”, disse Rehm, acrescentando que considera recorrer da decisão.

O caso tem paralelos com o de Oscar Pistorius, o corredor sul-africano que tem as duas pernas amputadas e foi à Corte Arbitral do Esporte para ganhar o direito de competir em 2012 nos Jogos Olímpicos de Londres e no ano anterior no Mundial de Atletismo.

O presidente da federação, Clemens Prokop, disse que há uma “dúvida significativa” entre salto com uma prótese e o salto sem ela. “Há uma dúvida significativa se o salto com uma prótese na perna e o salto natural podem ser comparados”, afirmou, para justificar a decisão de excluir Rehm.

Prokop disse que medidas biométricas realizadas no Campeonato Alemão, realizado em Ulm, mostraram que a prótese de Rehm pode lhe dar um “efeito catapulta”. Ele também se saiu mais rápido do que os demais concorrentes na decolagem.

O presidente da Federação de Atletismo da Alemanha, afirmou que “regras em todo o mundo” são necessárias e que ele iria pedir a Associação Internacional de Federações de Atletismo para analisar a questão.

Rehm, cuja perna direita foi amputada abaixo do joelho, pode recorrer da decisão na própria comissão de arbitragem da federação ou ir à Justiça comum.