Após o jogo, os depoimentos de jogadores e do treinador Marcelo Oliveira foram ofuscados por um pronunciamento de diretores do Paraná. O vice de futebol, Aramis Tissot, e o presidente do conselho deliberativo, Benedito Gomes Barbosa, tomaram a palavra e desceram a lenha em funcionários e torcedores.

Irritado com a greve realizada na segunda-feira, Aramis Tissot afirmou que os jogadores que estiverem descontentes podem ir embora. Afinal, alguns atletas que estavam de braços cruzados chegaram a reclamar que a diretoria sequer deu parabéns pela classificação antecipada no Paranaense 2010. Como resposta, o vice de futebol disparou: “Quem pensar assim pode passar no departamento pessoal e pedir a conta”.

Segundo Aramis, classificar era uma simples obrigação do elenco. Mesmo com os salários atrasados. “Não tem nada pra comemorar”, disse, também pedindo que os verdadeiros torcedores ajudem o clube nessa hora difícil.

O vice de futebol também afirmou que os jogadores que tiverem interesse em ficar no clube precisam se acostumar com possíveis atrasos nos salários. “Aqui não tem malandro. Todo mundo um dia vai receber”, esbraveja Aramis, antes de completar: “Não descarto que tenhamos novos problemas financeiros até o final do ano”.

Já o presidente do conselho, ao responder sobre a possível omissão do órgão em relação ao momento do clube, finalizou: “Tem quem cuide do financeiro. Tem quem cuide do social. Tem quem cuide do futebol. E o conselho nunca esteve distante do futebol”.