Em um ano que o time de futebol não tem dado muitas alegrias, o de vôlei é motivo de orgulho para os torcedores. Neste sábado, o Sada Cruzeiro conquistou pela segunda vez em sua história o título do Mundial de Clubes Masculino ao derrotar o Zenit Kazan, da Rússia, por 3 sets a 0 – com parciais de 25/20, 21/25, 27/25 e 25/21 -, na decisão realizada no ginásio Divino Braga, em Betim (MG).

O duelo deste sábado foi uma espécie de revanche para o Cruzeiro, que na primeira fase viu os russos levaram a melhor por 3 sets a 1 e terminarem em primeiro lugar do grupo, com grande atuação do cubano Leon, que era o maior pontuador do torneio até a decisão.

No entanto, na final, quem decidiu foi o cubano do lado celeste. Yoandy Leal Hidalgo, mas conhecido apenas como Leal, foi fundamental na conquista cruzeirense, se consagrando como maior pontuador da partida, com 22 pontos. Na campanha até o título, o Cruzeiro venceu na primeira fase o Capitanes de Arecibo, de Porto Rico, perdeu para os russo e na semifinal bateu o Paykan Tehran, do Irã.

Em 11 edições do torneio, esta foi apenas a segunda vez que uma equipe do Brasil levou a taça – o Cruzeiro ganhou em 2013, também em Betim, com vitória na decisão contra o Lokomotiv Novosibirsk, também da Rússia. O maior vencedor da competição é o Trentino, da Itália, com quatro títulos.

“É uma alegria incrível, um momento mágico ganhar dois Mundiais. Este time merece, batalhamos muito para chegar até aqui”, afirmou o levantador William, ainda em quadra, em entrevista ao canal de TV a cabo ESPN.

O presidente Gilvan de Pinho Tavares fez questão de parabenizar os atletas pela conquista. “Quero parabenizar os heróis da equipe Sada Cruzeiro que conquistaram hoje (sábado), com muita bravura e competência, o segundo título mundial de Vôlei para o nosso Clube. Mais uma vez vocês escreveram uma página emocionante em nossa história”, disse, em depoimento site oficial do clube.