O lateral-esquerdo Ivan, do Atlético, aumentou os problemas do técnico Heriberto da Cunha, que tem que montar a equipe para encarar o Francisco Beltrão, amanhã, na casa do adversário. Nos trabalhos de ontem, o treinador “descobriu” que o jogador vem de contusão e, por isso, não está desenvolvendo todo o seu futebol. Seria a volta do atleta ao time depois de ter perdido a posição para Fabrício, mas agora ele deverá trabalhar dobrado para voltar à velha forma e só retorna à equipe quando estiver totalmente recuperado.

“Depois que eu voltei de uma lesão, que eu tive no tornozelo contra o Coritiba (26/10/02), não voltei igual, mas acho que agora já estou melhor e, se tiver essa oportunidade, espero ajudar o Atlético”, disse Ivan na quinta-feira. O otimismo do atleta era grande. Seria a oportunidade dele voltar ao time e tentar conquistar a camisa 6, que tem a acirrada concorrência de Fabrício e Jean. “Agora é a hora. Se tiver essa oportunidade, é uma boa hora para se firmar no time”.

Outro fator para o baixo rendimento do atleta nos jogos-treinos e na partida diante do União Bandeirante, apontado pelo lateral, foi a mudança no esquema tático. “O esquema mudou e eu não era muito acostumado com esse esquema de 4-4-2. Sempre joguei mais avançado e estou tendo que marcar agora. Mas, isso é normal do futebol e eu tenho que jogar em qualquer esquema tático. Tenho que me acostumar e jogar”, analisou.

No entanto, terá que se “recuperar” fisicamente e esperar uma nova oportunidade. A determinação é do treinador que não sabia da real situação do atleta. Já não bastasse esse desfalque, Heriberto também não poderá contar com Rogério Correia (contundido), Rodrigo e Douglas Silva (suspensos) e Jean e Dagoberto (de folga após servirem à seleção sub-20).

Sem essa turma, o treinador continua com dúvidas e pode até improvisar o volante Wellington no lado esquerdo. Assim, Fabrício seria avançado para a meia-cancha. A outra possibilidade é manter o próprio Fabrício na lateral e colocar William no lugar que era de Rodrigo. Hoje pela manhã, o treinador comanda o último trabalho antes do embarque para Francisco Beltrão. O provável time que entra em campo é o seguinte: Cléber; Alessandro, Ígor, Daniel e Fabrício (Wellington); Cocito, Pires, William (Fabrício) e Adriano; Ilan e Jadílson.

Transferência para a Europa só no o segundo semestre

O técnico Heriberto da Cunha, do Atlético, ganhou ontem o seu primeiro reforço de peso para a temporada 2003. Sem uma negociação para o futebol europeu, o meia Kléberson volta a se integrar ao elenco atleticano e já deverá ficar à disposição para a partida diante do Rio Branco, quarta-feira, na Arena. O último clube a tentar a contratação do atleticano foi o Newcastle, mas as conversas esbarraram nos valores da transferência. Agora, o sonho do jogador de jogar na Europa fica adiado para julho.

“Eu tinha a expectativa e aquela ansiedade, que é normal, mas o importante é que eu estava trabalhando com o pessoal aqui”, disse o pentacampeão mundial, ontem, antes do treinamento. Segundo ele, a pré-temporada está sendo feita no CT do Caju e não haverá problema de voltar a jogar pelo Atlético. “Agora é esperar. É o momento de continuar trabalhando aqui porque tem o campeonato paranaense e espero fazer um grande primeiro semestre e uma negociação no meio do ano”.

Para o presidente do clube, Mário Celso Petraglia, a volta do meia aos gramados só depende da comissão técnica. “Ele tem contrato com o Atlético e volta a jogar assim que o departamento técnico desejar”. Como ainda está voltando a forma física e não tem treinado com o elenco, somente na semana que vem é que o treinador deverá aproveitar o jogador. Sua reestréia deve ser contra o Rio Branco para pegar ritmo, já que seria muito arriscado colocar o atleta direto num Atletiba e no Alto da Glória.

Até ontem, o Newcastle ainda tentava a contratação de Kléberson, mas parava nas propostas oferecidas. Enquanto pagava cerca de R$ 56 milhões por um zagueiro, os ingleses tentavam levar o pentacampeão por empréstimo ou por menos da metade do valor pago pelo defensor. Outros clubes também entraram na briga para levar o atleticano como o Leeds United e o Everton, da Inglaterra e o Celtic, da Escócia.

Interesse

Enquanto Kléberson fica, empresários ligados a clubes da Coréia do Sul estão tentando a contratação do atacante Selmir (em litígio com o Atlético) e do meia Marcelinho (emprestado ao Avaí). No entanto, segundo o diretor de futebol Alberto Maculan, a negociação está complicada devido aos valores oferecidos pelos coreanos. Já o meia William está sendo pretendido pelo clube catarinense. No entanto, segundo a direção do clube, o jogador já está integrado ao elenco e nos planos para todo o paranaense. Quem pode ser transferido para Florianópolis no lugar de William é Rodrigo, afastado do elenco devido à indisciplina.