A persistência, apesar do cansaço  premiou Ronaldo no final da partida, com mais um gol pela seleção. Artillheiro do Mundial, ao lado do alemão Klose, com cinco gols, o atacante manteve o equilíbrio, não demonstrou euforia em nenhum momento e demorou a dormir – teve de telefonar para pai e mãe e irmãos. Estava certo de que dera mais uma prova de sua total recuperação, após dois anos sem atividades por causa de contusões.

?Estar como artilheiro da Copa é, sem dúvida, uma grande vitória pessoal.? Depois, fez uma ressalva. ?Estou voltando a ser um jogador normal, voltando a fazer gols e a vitória mais importante já aconteceu: a de eu ter voltado a jogar.?  Sobre a Inglaterra, próximo adversário do Brasil, Ronaldo foi enfático. ?Vamos pra cima deles com tudo. Cada jogo agora é uma final.?         

A zona mista do estádio de Kobe, local de entrevistas dos atletas após os jogos, estava superlotada e quando Ronaldo surgiu da porta de acesso ao vestiário da seleção, houve um alvoroço. Seguranças tiveram de conter a bancada divisória, para que não cedesse e levasse ao chão dezenas de jornalistas. Ronaldo pediu calma, enquanto afastava um pouco o rosto para não ser atingido por microfones e gravadores. Foi logo dedicando o gol desta segunda ?para toda a torcida brasileira.?         

Com o placar de 2 a 0, disse que a seleção ganhou tranqüilidade, num momento difícil, em que era atacada seguidamente pela Bélgica. ?Estou muito feliz com a vitória, a artilharia está vindo e com isso vou ajudando a seleção a vencer.? Ele considerou o jogo desta segunda-feira o mais complicado do Brasil na Copa, embora acrescentasse que a equipe poderia ter marcado gols no primeiro tempo.         

?Criamos possibilidades, chegamos bem próximos, não tivemos sorte.? Ele defendeu a decisão da arbitragem de anular o gol de Wilmot, quando o jogo estava empatado. ?Houve falta em Roque Júnior, o juiz foi perfeito.? Ainda sobre o lance do gol, no final da partida, enalteceu o passe de Kleberson e contou qual é o segredo do jogador com vocação de artilheiro: nunca desistir.         

?Eu estou sempre procurando os espaços, acreditando em cada jogada, como todo centroavante tem que fazer; numa hora, num contra-ataque, eu acreditei até o final, recebi a bola na cara do gol e não falhei.?