Cristiano Ronaldo voltou a decidir uma partida em favor de Portugal. Nesta quarta-feira, o craque marcou o único gol do triunfo sobre a Rússia por 1 a 0, na segunda rodada da Copa das Confederações, resultado que deixou a equipe muito próxima da classificação. O próprio atacante admitiu que seu time sofreu com a pressão adversária no segundo tempo, mas avaliou que os portugueses foram superiores.

“Nós jogamos contra um time que atuava em casa, com o apoio da torcida, uma equipe que nos pressionou. Mas fomos muito melhores”, considerou o português, que pediu respeito à sua seleção. “Portugal tem uma equipe jovem, um excelente treinador que entende muito de futebol e é experiente. Não foi por acaso que fomos campeões da Europa.”

A nova boa atuação de Ronaldo veio em um momento no qual o craque se vê bastante pressionado, em virtude da polêmica da qual é protagonista na Espanha. Acusado de fraude fiscal no país, ele teria manifestado o desejo de deixar o Real Madrid. Novamente perguntado sobre o assunto, o técnico português Fernando Santos voltou a defender seu comandado.

“Vocês (imprensa) precisam respeitar a vida particular do Cristiano Ronaldo. Ele fez bem em não responder a estas perguntas (sobre a polêmica) hoje. Vocês já vão ter tempo de fazer-lhe todas as perguntas sobre qualquer coisa”, afirmou.

O treinador também confirmou que a lesão do lateral Raphael Guerreiro, que deixou o gramado machucado na segunda etapa, é grave. “O Raphael foi para o hospital, achamos que ele está com a perna fraturada. É um jogador de primeiro nível e, pessoalmente, acho que isso pode ter impacto em sua próxima temporada. Estamos tristes e veremos o que vão dizer os exames médicos.”