Rio – O técnico Carlos Alberto Parreira decidiu liberar o meia-atacante Ronaldinho Gaúcho do amistoso que a seleção brasileira faz nesta quarta-feira contra a Rússia, em Moscou. O jogador sofreu uma lesão no tornozelo esquerdo na semana passada, que piorou durante o jogo de sábado, em que o Barcelona venceu o Zaragoza por 2 a 0, no Campeonato Espanhol. Ninguém será chamado para o seu lugar.

Ronaldinho Gaúcho entrou em contato com o médico da seleção brasileira, José Luís Runco, ontem, comunicando-o da contusão. Quando ficou sabendo do fato, Parreira decidiu liberá-lo do amistoso. Apesar disso, a CBF ainda espera um fax oficial do Barcelona com o laudo médico do jogador.

Repouso

Segundo o médico do Barcelona, Lluis Til, a contusão de Ronaldinho Gaúcho não é grave, mas ele precisa de repouso. Por isso, o clube espanhol pediu que o jogador fosse liberado pela seleção. A lesão aconteceu na partida da última quarta-feira, contra o Chelsea, em Londres, pela Liga dos Campeões.

Depois disso, Ronaldinho Gaúcho até que chegou a jogar no sábado contra o Zaragoza, marcando um dos gols do Barcelona, mas a lesão piorou e ele deixou o campo antes do apito final do árbitro.

Sem Ronaldinho Gaúcho, os jogadores da seleção que jogam na Europa devem se apresentar hoje no aeroporto de Frankfurt, na Alemanha, de onde o grupo segue para Moscou. Os atletas que atuam no Brasil e a comissão técnica viajaram para lá na noite de ontem.

Opções

Com a ausência de Ronaldinho Gaúcho, Parreira tem duas opções para escalar o time titular. A mais provável é a entrada do meia Juninho Pernambucano. Mas ele também pode escalar o atacante Robinho na posição.

Antes de Ronaldinho Gaúcho, Parreira já tinha cortado os goleiros Dida e Júlio César, ambos por contusão. Para os seus lugares foram chamados Rogério Ceni (São Paulo) e Gomes (PSV Eindhoven).

De qualquer maneira, a seleção brasileira faz na quarta-feira, às 13h (horário de Brasília), o último amistoso antes da convocação final para a Copa do Mundo da Alemanha. E Parreira usará o jogo com a Rússia para fazer suas últimas observações para definir o grupo.

Craque do Barça pede fim do racismo no futebol

Barcelona – O meia brasileiro Ronaldinho Gaúcho declarou que não agüenta mais as manifestações de racismo contra jogadores de futebol na Europa. O mais novo episódio aconteceu no sábado, quando o Barcelona venceu o Zaragoza, pelo Campeonato Espanhol. Torcedores do time da casa insultaram o atacante camaronês Samuel Eto?o, que chegou a pedir para se retirar da partida por causa das ofensas.

?Eu teria ido embora do jogo junto com o Eto?o depois de ouvir os insultos a ele. Esse é um tipo de coisa que não pode continuar. Nós temos que tentar acabar com isso nos estádios de futebol?, disse Ronaldinho. Eto?o só continuou na partida depois de ser convencido pelo treinador Frank Rijkaard.

Essa não é a primeira vez que os torcedores do Zaragoza dirigiram insultos racistas a jogadores adversários. No começo deste mês, o atacante brasileiro Robert, do Betis, também foi xingado. Em novembro do ano passado, num jogo do Campeonato Italiano, a torcida da Inter de Milão insultou o zagueiro Zoro, do Messina e da seleção de Costa do Marfim.