O técnico romeno Mircea Lucescu declarou que foi procurado pela diretoria do Santos e recebeu uma oferta para ser o sucessor de Jorge Sampaoli. O treinador está desempregado, tendo como seu principal trabalho uma passagem de mais uma década no comando do Shakhtar Donetsk, e indicou que pediu tempo para tomar uma decisão sobre o seu futuro.

“A oferta do Santos é concreta e séria”, disse o técnico ao diário esportivo romeno Gazeta Sporturilor. “Ainda não tomei nenhuma decisão, tomarei depois do Ano Novo, porque há outras propostas interessantes”, acrescentou.

Lucescu se declarou feliz pelo interesse de um clube do futebol brasileiro, mas ao mesmo tempo indicou que a possibilidade de morar na América do Sul, distante da Romênia, pode ser um fato a pesar para uma recusa ao interesse do Santos. “A oferta do Brasil me honra. Mas está longe de casa. Este é o único impedimento. E a esposa não está muito feliz com essa perspectiva”, acrescentou o treinador.

Hoje com 74 anos, Lucescu é um notório admirador do futebol brasileiro, tendo contratado vários jogadores do País no período em que esteve no comando do Shakhtar, chegando até a aprender português para facilitar a comunicação com os atletas. No time ucraniano, ele permaneceu de 2004 a 2016, tendo faturado mais de 20 títulos, com destaque para a Copa da Uefa, a atual Liga Europa, na temporada 2008/2009.

O treinador possui um extenso currículo, tendo comandado clubes como a Inter de Milão, o Galatasaray, o Zenit e o Besiktas. O seu último trabalho foi na seleção da Turquia, se encerrando em fevereiro de 2019. Já como jogador, disputou a Copa do Mundo de 1970 e a Eurocopa de 1984.

O Santos foi dirigido por Jorge Sampaoli na temporada 2019, mas, embora tivesse mais um ano de contrato, o treinador argentino deixou o clube de modo litigioso. A diretoria segue em busca de um substituto, mas nomes analisados já definiram o seu futuro, como Ariel Holan, que assinou com a Universidad Católica, e Rogério Ceni, que renovou seu contrato com o Fortaleza. Outra possibilidade é o espanhol Miguel Ángel Ramirez, campeão da Copa Sul-Americana à frente do Independiente del Valle.