O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, manifestou nesta sexta-feira seu tributo ao britânico Andrew Simpson, morto aos 36 anos, na última quinta, durante um treino para a Americas’s Cup, uma das principais provas da vela. Rogge, um ex-velejador belga, lamentou o ocorrido e disse que Simpson morreu “perseguindo sua paixão esportiva”.

“Simpson era um velejador e um competidor olímpico altamente realizado, que morreu perseguindo sua paixão esportiva. Nossos pensamentos estão, naturalmente, com sua família e amigos, e, é claro, com seus tripulantes companheiros que devem estar devastados com esse trágico acidente”, declarou o dirigente.

Na última quarta-feira, Simpson treinava com a equipe sueca da Artemis Racing para a America’s Cup na Baía de São Francisco quando o catamarã que levava 11 tripulantes virou. O britânico ficou preso embaixo do barco por cerca de dez minutos. Os médicos ainda tentaram reanimá-lo, mas ele não resistiu e acabou morrendo.

“Toda a equipe Artemis Racing está devastada com o que aconteceu. Nossas condolências, de coração, estão com a família e a esposa de Andrew”, disse o chefe da equipe, Paul Cayard. “É uma experiência chocante de se atravessar e temos muito o que fazer nos próximos dias para garantir o bem estar de todos.”

Simpson conquistou duas medalhas olímpicas: ouro em Pequim, em 2008, e prata em Londres, no ano passado, sempre ao lado de Iain Percy. Nas duas Olimpíadas, a dupla britânica terminou à frente dos brasileiros Robert Scheidt e Bruno Prada, que foram prata em 2008 e bronze em 2012.

“Andrew era um velejador fantástico, que conseguia tirar o melhor de todo mundo que velejava com ele. Ele era muito apaixonado e sua falta será extremamente sentida por todos que fazem parte desta equipe. Nossos pensamentos vão para a família de Andrew”, comentou o técnico da equipe olímpica britânica de vela, Stephen Park.

Além de Andrew, outros dez velejadores estavam no catamarã no momento do acidente, mas foram resgatados com vida. A Artemis Racing ainda não comentou se sua participação na America’s Cup, marcada para ter início no dia 4 de julho, está confirmada. “O barco está sob controle, mas essa não é nossa maior preocupação. Estamos focados nas pessoas”, disse Paul Cayard.