Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, garantiu nesta sexta-feira pelo menos uma medalha de prata para o Brasil na chave masculina de simples no tênis dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. O brasileiro se classificou para a final da competição ao vencer o equatoriano Julio Cesar Campozano por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 6/7 (5/7) e 7/5, em duas horas e 54 minutos.

Rogerinho, atual número 117 do mundo, vai encarar na decisão o colombiano Robert Farah, 230.º do mundo, em partida marcada para às 16h locais deste sábado, 19h pelo horário de Brasília. Para chegar à final, Farah fez duplo 6/4 no dominicano Victor Estrella, algoz de Ricardo Mello.

Adversário de Rogerinho nesta sexta, Camponazo chegou como grande zebra à semifinal. Na segunda fase, ele eliminou o brasileiro João Souza, o Feijão, cabeça de chave número 2 do torneio. Agora, o equatoriano vai disputar o bronze contra Victor Estrella.

Rogerinho, cabeça de chave número 4, poderia ter fechado o jogo nesta sexta-feira ainda no segundo set. Teve duas chances para isso. Na primeira, sacou com 5/4 no placar, mas teve seu saque quebrado. Depois, salvou break points e levou o jogo para o tie-break, quando voltou a ficar perto da vitória. Abriu 5/4 após os saques do adversário, mas sofreu dois mini-breaks e viu o equatoriano levar o jogo para o terceiro set.

No último set, Campozano chegou a quebrar o saque do brasileiro, abrir 5/4 no placar e sacar para fechar o jogo. Numa momento decisiva, em que Rogerinho poderia devolver a quebra, a bola furou e interrompeu a jogada. Na sequência, o brasileiro conseguiu devolver a quebra, confirmar seu saque e depois chegar aos 7/5 numa dupla falta do rival.

Rogerinho tem chance de conquistar outra medalha nesta sexta-feira. Ao lado de Ana Clara Duarte, ele joga pelo bronze nas duplas mistas contra Adriana Perez e Roman Recarte, da Venezuela. Compozano também volta à quadra ainda nesta sexta, para jogar as semifinais da chave masculina de duplas, contra a surpreendente parceria de Barbados. Os dois jogos não têm hora para acontecer – o descanso mínimo é de uma hora e meia.

SEM MEDALHA – Na chave feminina de duplas, Teliana Pereira e Vivian Segnini foram derrotadas pelas colombianas Catalina Castaño e Mariana Duque na decisão do bronze e ficaram sem medalhas. A partida só foi decidida no super tie-break e teve a vitória das colombianas por 2 sets a 1, parciais de 6/7 (2/7), 6/4 e 10/6.

“É muito duro porque queríamos muito trazer essa medalha para o Brasil, mas fizemos tudo o que podíamos em quadra. Lutamos até o fim, mas elas foram melhores nos pontos importantes e isso fez a diferença. No tie-break, qualquer detalhe decide”, disse Vivian. “Saímos daqui de cabeça erguida”, completou.