O técnico Roger Machado optou mais uma vez pelo mistério no último treino do Atlético-MG antes da estreia na Libertadores. Nesta terça-feira, em Mendoza, o comandante alvinegro adotou o mesmo expediente da última segunda e voltou a fechar a atividade da equipe, na véspera do confronto diante do Godoy Cruz.

Apesar do clima de mistério imposto por Roger, o Atlético-MG não deve ter grandes novidades. A equipe está praticamente definida com o retorno de Rafael Carioca, que não atuou na vitória sobre o Villa Nova, no fim de semana, por estar suspenso. A tendência é que o treinador tenha fechado o treino para praticar jogadas ensaiadas, e ele pediu respeito ao adversário.

“As equipes que estão na Libertadores tiveram méritos na temporada anterior e têm que ter todo nosso respeito. Jogar fora é sempre difícil, e jogar na Argentina é tanto quanto. Então, é encarar nosso adversário com respeito, jogar bem e levar um bom resultado para o Brasil”, declarou nesta terça.

Nem mesmo a paralisação no futebol argentino, por causa da greve dos jogadores no país, parece incomodar o treinador. Roger garantiu que conseguiu diversas informações do Godoy Cruz, mesmo com o último jogo oficial da equipe tendo sido disputado ainda em dezembro – de lá para cá, só amistosos.

“Tem diferenças na formação, tem jogadores diferentes (do Godoy Cruz desde dezembro). Apesar de não ter jogado muitas vezes, isso não quer dizer muita coisa, porque a gente tem acesso a material que nos permitiu conhecer como a equipe do Godoy Cruz joga, seus principais jogadores, suas virtudes. Vamos trabalhar bastante em cima disso para estar preparado para esse desafio”, afirmou o treinador.

Sem grandes surpresas, o Atlético-MG deverá entrar em campo nesta quarta, diante do Godoy Cruz, com: Giovanni; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias, Danilo e Otero; Robinho e Fred.