O US Open, o quatro e último Grand Slam da temporada, em Nova York, terá uma semifinal totalmente suíça na chave masculina. Nesta quarta-feira, com extrema facilidade, Roger Federer e Stan Wawrinka venceram os seus jogos pelas quartas de final e disputarão nesta sexta um lugar na grande decisão de domingo. O número 2 do mundo bateu o francês Richard Gasquet por 3 sets a 0 – com parciais de 6/3, 6/3 e 6/1 -, enquanto que seu compatriota derrotou o sul-africano Kevin Anderson pelo mesmo placar – parciais de 6/4, 6/4 e 6/0.

Classificado à sua 38.ª semifinal de Grand Slam na carreira, Federer tentará chegar à marca de 27 finais. Só em Nova York são cinco títulos entes os anos de 2004 e 2008. Foi à decisão também em 2009, quando perdeu para o argentino Juan Martín del Potro, mas desde então não passou da semi.

Contra o amigo Stan Wawrinka, atual número 5 do mundo, Federer já jogou 19 vezes e tem larga vantagem no confronto direto – 16 a 3. No duelo mais recente, nas quartas de final de Roland Garros, vitória de Wawrinka, que depois conquistaria o inédito título em Paris.

Nesta quarta-feira, Federer precisou de apenas 1 hora e 26 minutos para despachar Gasquet, o 12.º colocado do ranking mundial da ATP, que vinha de boas atuação no US Open. Esta foi a 15.ª vitória do suíço em 17 confrontos, sendo a sétima de forma consecutiva. Em Nova York, o número 2 do mundo segue sem perder um set sequer nas cinco partidas que fez até agora.

Já Wawrinka jogou exatas 1 hora e 47 minutos para ganhar de Kevin Anderson, que nas oitavas de final havia eliminado o britânico Andy Murray. Contra o sul-africano, o 15.º do mundo, o suíço jogou de forma precisa para acabar com uma amarga série de quatro derrotas seguidas para o rival. Nos dois primeiros sets, quebrou o saque de Anderson uma vez em cada parcial e, aproveitando o desânimo do adversário, aplicou um “pneu” no terceiro.

O tenista da Suíça faz uma temporada excelente em Grand Slams. Além do título em Roland Garros, foi semifinalista no Aberto da Austrália, como agora no US Open, e parou nas quartas de final em Wimbledon. O bom desempenho em Nova York já o garante na quarta colocação na atualização do ranking na próxima semana, ultrapassando o japonês Kei Nishikori – atual vice-campeão, que caiu logo na primeira rodada.