Um ano e meio depois, Rodrigo Pimpão está de volta à Vila Capanema. Agora, não mais aquele garoto saindo das categorias de base como uma promessa. Mais “calejado”, chega como solução para os problemas ofensivos do Paraná Clube, que ainda sonha com o acesso à primeira divisão do futebol brasileiro. Um sonho também partilhado por Pimpão e que o motivou a aceitar o desafio de retornar ao clube.

“Acho que fiz pouco pelo Paraná lá atrás. Quero dar muito mais”, disse o jogador de 22 anos. Forjado no futsal e com rápida passagem pelas categorias de base em 2007, ele chegou ao profissional em 2008.

Foi titular poucas vezes, mas tornou-se peça importante na reação da equipe no returno da Série B. Um desempenho que valeu a permanência na Segundona, após o risco iminente de queda para a Série C.

Naquela temporada, Pimpão marcou quatro gols. Suficiente para despertar o interesse do Vasco, que o contratou no início de 2009. Na atual temporada, porém, não vinha sendo aproveitado pelo técnico PC Gusmão.

Sua última partida como titular foi no Torneio de Florianópolis, no qual o Vasco foi campeão. “Amadureci muito. Aprendi muita coisa, em especial com o que vivi no ano passado, no Carioca e na Copa do Brasil”, disse Pimpão.

“Não posso dizer que sou experiente, mas tenho bagagem para ajudar o Paraná neste momento”, comentou Rodrigo, apresentado oficialmente ontem pela manhã.

O jogador acompanhou o desempenho do clube e acha possível retomar o que foi feito antes da parada da Copa. “Fiquei muito feliz com o convite para retornar. Tanto que descartei seis ou sete propostas de outros clubes”, disse. “O Paraná não está tão mal colocado. O grupo tem qualidade e vamos reagir”.

Rodrigo Pimpão pediu calma para a torcida, pois precisa de uma sequência de jogos para recuperar o ritmo de jogo. “Não vai faltar vontade. Muito pelo contrário”, disparou.

O jogador aproveitou a coletiva para pedir desculpas por algumas colocações segundo ele mal interpretadas. “Disse que estava feliz por chegar a um grande clube, mas nunca menosprezando o Paraná. Tenho um grande amor por este clube, que me deu todo o suporte no início da minha carreira. Tanto que estou de volta à Vila”, finalizou o atacante.