O meio-campista Rodrigo Lindoso, do Botafogo, criticou nesta quarta-feira o regulamento do Campeonato Carioca. Na opinião dele, o fato de haver muitos clássicos no início da competição tira um pouco o interesse dos torcedores de irem ao estádio.

“Não gosto desse modo, mas pela seguinte situação: a torcida espera o clássico, mas ela vê que tem esse e vai ter outro lá na frente, quando na verdade o interesse dessas pessoas que fazem o campeonato é que tenha mais clássicos. Por outro lado, não tem torcida, sabem que na frente vai ter um, dois ou três clássicos, mas é opinião minha. Não estou fazendo nenhuma polêmica, mas é minha opinião”, opinou.

A declaração foi dada porque o Botafogo enfrenta o Flamengo no próximo sábado, no estádio do Engenhão, pela terceira rodada da Taça Rio, o segundo turno do Estadual. “Será o terceiro clássico do ano, a gente sabe que no Estadual a gente vão ter uns quinze clássicos (risos)”, brincou.

O Botafogo busca a terceira vitória consecutiva. Mas, apesar do bom momento, o time alvinegro está fora do grupo de classificação para a semifinal. No Grupo C, do qual o Botafogo faz parte, quatro equipes venceram nas duas primeiras rodadas do segundo turno e estão empatadas com seis pontos. Também estão 100% nessa parte da competição o Fluminense, a Portuguesa-RJ e o Boavista.

Enquanto isso, no Grupo B, o Flamengo lidera com apenas três pontos, com o Volta Redonda em segundo, com um. Os dois primeiros colocados de cada chave avançam à semifinal da Taça Rio. Lindoso criticou o modelo de disputa.

TITULAR NOVAMENTE – Lindoso recuperou a posição de titular no Botafogo com a chegada do técnico Alberto Valentim. O jogador começou em campo nas duas partidas que o treinador esteve à frente da equipe e em ambas o time alvinegro venceu.

O jogador falou sobre o período que ficou na reserva, enquanto o técnico Felipe Conceição esteve no comandou a equipe. “Foi um momento complicado, eu vinha treinando forte, como sempre fiz”, disse.

“Era opção do ex-treinador que estava aqui, respeito e continuei fazendo o meu. Quando o Alberto chegou, tivemos uma pequena conversa, e ele disse para eu não deixar cair. Segui fazendo meu trabalho forte, e ele me deu a oportunidade”, finalizou.