O primeiro julgamento sobre a participação irregular do atacante Adriano de Oliveira Santos no Campeonato Paranaense 2011 não agradou a ninguém. Tanto a procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) quanto o Rio Branco confirmaram recurso da decisão, mas ainda aguardam data para nova avaliação do caso. No dia 5 de abril, o clube de Paranaguá havia sido punido com multa de R$ 27.500

No pleno do TJD-PR, os procuradores tentarão manter o discurso de penalização do Rio Branco com a perda de 22 pontos no Estadual. Tal medida rebaixaria o Leão da Estradinha para a Divisão de Acesso, livrando seus principais concorrentes, como Paraná Clube e Paranavaí, da degola. Em contrapartida, a defesa da equipe do Litoral irá tentar redução da multa ou absolvição nos tribunais.

O procurador do TJD-PR Gilson Goulart alegou que tentará reverter a decisão anterior dos auditores do tribunal, que desclassificaram a denúncia de infração do artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva e julgaram o clube com base no artigo 221.

“Continuamos entendendo que o Rio Branco foi negligente na conferência dos documentos na hora de enviar o contrato do atleta, independente de haver ou não o dolo (má-fé)”, disse.

Para o advogado do Rio Branco, Domingos Moro, a argumentação da procuradoria é equivocada, a partir do ponto de vista que denuncia apenas um dos envolvidos no erro de inscrição. “Se o clube for punido com a perda de pontos, estamos preparados para levar o caso ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD)”, desafia.