Mais uma vitória e o BCN/Osasco segue na liderança da Superliga Feminina de Vôlei. O time de Fernanda Venturini derrotou o Cadsoft/Tênis Clube, por 3 sets a 0 (25/23, 25/16 e 25/19), em casa, na segunda rodada do returno, em partida realizada no sábado. O jogo sofreu uma paralisação de uma hora por falta de energia elétrica na cidade. Osasco volta a jogar em casa no domingo, ao meio-dia, contra o Automóvel Clube, de Campos.

“O apagão fez bem para o BCN. O time voltou mais concentrado, mais consciente do que teria de fazer em quadra”, comentou o técnico Zé Roberto Guimarães, do BCN. O técnico Hairton Cabral, do CadSoft, lamentou a paralisação. “O tempo parado fez o time perder o ritmo do jogo e contra um adversário forte, como o BCN, isso é fatal.”

O MRV/Minas é o vice-líder após a vitória contra o Automóvel Clube/Campos, neste domingo, no Rio, por 3 sets a 2 (25/21, 25/21, 18/25, 24/26 e 15/12).

Masculino

Em Belo Horizonte, o Banespa/MasterCard, de Escadinha, terminou a quarta rodada do returno da Superliga Masculina, realizada sábado, na vice-liderança ao vencer o Telemig Celular/Minas, de Maurício, no tie break (25/23, 20/25, 22/25, 29/27 e 15/12). O Minas é o terceiro colocado. A liderança segue com a Unisul, de Santa Catarina, que derrotou a UCS por 3 sets a 0 (25/21, 25/16 e 25/16), em Caxias do Sul (RS).

Para o técnico Mauro Grasso, o maior mério do Banespa foi a confiança. “Mesmo alternando bons e maus momentos, teve moral para fechar o jogo.” Além de estar bem psicologicamente, o técnico apontou uma evolução no saque e disse que o passe foi o melhor fundamento. Destacou o líbero Sérgio Escadinha que, durante o aquecimento, levou uma bolada na mão direita e jogou com muita dor.

“O adversário sabia que o Escadinha estava com dores, aproveitou para sacar bastante em cima dele, forçando a recepção com toque e, mesmo assim, ele se saiu bem. Provou por que é o líbero titular da seleção”, elogiou Grasso.

Três partidas completaram a rodada sábado: Bento Gonçalves 3 x 1 Shopping ABC/Santo André (17/25, 25/20, 25/16 e 25/23); Ulbra 3 x 1 Wizard/Suzano (25/22, 23/25, 30/28 e 25/18); Palmeiras/Guarulhos 3 x 2 Lupo/Náutico (25/21, 20/25, 19/25, 25/20 e 15/13).

Rexona perde outra na liga

O Rexona/Paraná não é sequer sombra da equipe que terminou o primeiro turno da Superliga Nacional de Vôlei feminina. Sábado, em Macaé, no norte do estado do Rio de Janeiro, a equipe do técnico Helio Griner sofreu sua terceira derrota seguida, a segunda no returno. O Rexona até que mostrou uma certa evolução, mas perdeu do Macaé/Nuceng por 3 a 2, parciais de 16/25, 25/18, 25/23, 25/27 e 22/20.

Na próxima rodada, sábado, a equipe de Curitiba volta a jogar em casa, no Ginásio Tarumã, diante do Açúcar União São Caetano.

No jogo de sábado, o início do primeiro set o placar se manteve equilibrado. Principalmente devido ao forte saque de Raquel, o Rexona abriu vantagem a partir do 15.º ponto e fechou em 25 a 16.

No segundo set, os seguidos erros de saque e recepção facilitaram os ataques do Macaé que marcou 25 a 18. No terceiro set, depois de 10 minutos de paralisação em função da falta de energia elétrica no Ginásio Juquinha, Macaé venceu por 25 a 23.

O Rexona reagiu no quarto set, a equipe acertou o ataque e melhorou a recepção para fechar em 27 a 25. No quinto set, predominou o equilíbrio. Campos encerrou a partida por 22 a 20.