Ciciro Back
Hélio Griner espera a vitória, mas
reconhece a qualidade do Pinheiros.

O domingo será de vôlei de alto nível para os curitibanos que ainda não se dispuseram a enfrentar o sol do verão nas prais do Paraná. O Rexona, comandado pelo técnico Helio Griner, recece hoje, ao meio-dia, o Blue Life Pinheiros no Ginásio do Tarumã, em partida válida pela sexta rodada do primeiro turno da Superliga Nacional de Vôlei feminina.

Será um confronto decisivo para as pretensões do Rexona que, antes da estréia na competição, vislumbrar apenas um lugar entre os quatro melhores ao término da fase de classificação (turno e returno), hoje já sonha com a liderança da competição, atualmente sob o domínio da constelação BCN (cujo elenco conta com a melhor levantadora do Brasil, Fernanda Venturini, além de Virna, melhor atacante do país). O primeiro lugar garante vantagens em todos os playoffs.

“Nossa campanha foi irrepreensível até agora, com exceção do confronto contra o CadSoft/São José, quando perdemos dois sets. Mas aquele vacilo nos ajudou a acordar para a importância de se entrar ligado no jogo”, comentou o auxiliar-técnico Ricardo Tabach.

Sob a liderança da capitã Walewska, o Rexona, vice-líder da Liga, promete não dar sopa para o azar. Destaques do Rexona nesta Superliga, Wal está consciente da sua importância para a equipe e feliz com o bom momento. “Está sendo uma Superliga especial para mim. Continuo como capitã e o time está mais renovado do que nunca. Como sou uma das mais experiente, tento passar às mais novas um pouco daquilo que aprendi. Acho que estou conseguindo e isto é fruto de muito trabalho”, diz a meio-de-rede, eleita três vezes a melhor em quadra nas cinco rodadas iniciais.

“Será um jogo de armadilhas. Estamos vindo de uma vitória sobre o atual campeão, o MRV/Minas e, por isso, não podemos afrouxar. Se isto acontecer, esta partida poderá ser mais difícil do estamos esperando. O Blue Life/Pinheiros virá querendo vencer, como todos os outro”, ressalta Wal.

Ficha Técnica

Rexona: Fernandinha, Tali, Raquel, Sassá, Walewska e Claúdia. Líbero: Daniela.

Pinheiros: Flávia, Elymara, Kika, Denise, Renata e Tatiana. Líbero: Michelle.

Local: Ginásio Professor Almir de Almeida (Tarumã)

Horário: 12h (com transmissão da TV Bandeirantes)

Kika dá a dica para vencer fora

Do lado do Blue Life/Pinheiros, o destaque é a atacante Sabrina Bado, a Kika, que ocupa a segunda colocação no ranking individual de eficiência no ataque. Natural de Brusque, Kika começou a jogar aos 16 anos e, profissionalmente, atuou por equipes como o Pão de Açúcar, Colgate/São Caetano, BCN e Rexona – na qual conquistou o título da Superliga 97/98.

Para Kika, vencer o Rexona é difícil, mas não impossível. “O Rexona é um adversário muito forte, que sempre está bem em todos os fundamentos. É uma equipe tão difícil de se vencer quanto Osasco. Só que sabemos que temos condições de vencer e vamos lutar para isso. O segredo é sacar bem para quebrar o passe delas”, completa.