O ano de 2019 se aproxima do fim repleto de fatos que marcaram a temporada esportiva nos mais diferentes esportes, seja de forma positiva ou negativa. Confira a retrospectiva com os principais fatos:

Janeiro

Emiliano Sala – No dia 21 de janeiro, o jogador argentino Emiliano Sala, de 28 anos, morreu em um acidente de avião no Canal da Mancha quando estava prestes a iniciar um novo capítulo em sua carreira. O atacante tinha acabado de ser transferido do Nantes, da França, para o Cardiff, do País de Gales, que disputa a Premier League. Até hoje os clubes estão em uma disputa judicial por conta do pagamento dos custos da transferência, cobrados pela FIFA.

Sala morreu em acidente aéreo. Foto: Divulgação/Nantes

Fevereiro

Ninho do Urubu – Uma grande tragédia aconteceu no dia 8 de fevereiro, quando um incêndio no CT Ninho do Urubu matou dez jogadores das categorias de base do Flamengo. Os atletas, com idades entre 14 e 16 anos, moravam nas dependências do clube e estavam dormindo quando o fogo rapidamente tomou conta dos quartos. O incêndio se deu por conta de uma falha no ar-condicionado. O local já havia sido interditado pela prefeitura do Rio em 2017, após quase 30 multas por falta de alvará.

O incêndio no Ninho do Urubu foi uma das maiores tragédias no Brasil em 2019. Foto: Reprodução

Junho e Julho

Copa América – Entre os dias 14 de junho e 7 de julho, dez seleções do continente sul-americano, além dos convidados Japão e Qatar, disputaram a Copa América Brasil 2019. A seleção brasileira, que deixou o torcedor desconfiado após um empate em 0x0 com a Venezuela na fase de grupos, chegou à final desbancando a Argentina, por 2×0, na semi. Na decisão, em pleno Maracanã, bateu o Peru por 3×1 e confirmou seu nono título da competição.

Copa do Mundo Feminina de Futebol – Recordes de audiência e mais visibilidade para o futebol feminino. De 7 de junho a 7 de julho, a França recebeu a oitava edição Copa do Mundo de Futebol Feminino. O torneio reuniu equipes de 24 países e entrou para a história por atingir a maior audiência de todos os tempos, com mais de 1 bilhão de espectadores – tanto pela internet quanto pela televisão – de acordo com a FIFA.

A seleção brasileira não foi longe, mas fez uma competição dentro do que era esperado. Eliminadas pela França, nas oitavas de final, as jogadoras, mais uma vez, deixaram claro o quanto falta apoio ao esporte no Brasil. A final foi entre Holanda e Estados Unidos e a suprema seleção americana se consagrou campeã pela quarta vez ao vencer por 2×0. Megan Rapinoe foi eleita a melhor jogadora da Copa do Mundo.

Brasil não foi longe na Copa do Mundo Feminina, mas mostrou que tem qualidade e até podia conseguir mais. Foto: Divulgação/CBF

Jogos Pan-Americanos – A cidade de Lima, no Peru, recebeu os Jogos Pan-Americanos entre os dias 26 de julho e 11 de agosto. A competição contou com representantes de 41 países em um total de 6.680 atletas. Foram disputadas 39 modalidades e o país mais vitorioso foi os Estados Unidos, com 293 medalhas. O Brasil ficou com o segundo lugar no quadro, com 171 conquistas.

Agosto e Setembro

Mundial de Judô – Entre os dias 25 de agosto e 1º de setembro, aconteceu o Campeonato Mundial de Judô. A competição foi realizada em Tóquio, no Japão, e recebeu 860 atletas de 149 paíse, que competiram em 15 categorias.

Na classificação geral, os donos da casa lideraram com a conquista de 16 medalhas, sendo cinco de ouro, seis de prata e cinco de bronze. A delegação do Brasil voltou para casa com três medalhas de bronze, o que rendeu a 16ª colocação no quadro de medalhas.

Mundial de Basquete Masculino – O Mundial de Basquete Masculino, que aconteceu na China, entre 31 de agosto e 15 de setembro, ficou marcado pela queda do ‘dream team’ americano antes do previsto e a conquista da Espanha. A competição reuniu 32 seleções que disputaram vaga para as Olimpíadas de Tóquio 2020.

Os Estados Unidos foram eliminados pela França nas quartas de final. Na finalíssima, a Espanha levou a melhor sobre a Argentina e conquistou seu segundo título da disputa. O Brasil parou logo na primeira fase e, por isso, precisará buscar a classificação no Pré-Olímpico.

Copa do Brasil – Pela primeira vez na história da Copa do Brasil, o Athletico ficou com o título. Após eliminar o Fortaleza nas oitavas de final, o Flamengo nas quartas e o Grêmio na semi, a final aconteceu diante do Internacional.

No jogo de ida, na Arena da Baixada, o Furacão venceu por 1×0, com gol de Bruno Guimarães. Na grande final, que aconteceu no dia 18 de setembro, no estádio Gigante da Beira Rio, em Porto Alegre, o Rubro-Negro fez 2×1, com direito a um drible histórico de Marcelo Cirino, de letra. Ele mandou uma caneta e deu um passe que terminou no gol de Rony.

Pela primeira vez o Athletico foi campeão da Copa do Brasil. Foto: Albari Rosa/Arquivo

Copa do Mundo de Vôlei Feminino – O Japão foi palco da Copa do Mundo de Vôlei Feminino. Disputaram o título 12 equipes e a China se sagrou campeã pela segunda vez consecutiva. A medalha de prata ficou com os Estados Unidos e a Rússia completou o pódio. O Brasil decepcionou e, após perder jogos decisivos, ficou apenas com a quarta colocação.

Outubro

Copa do Mundo de Vôlei Masculino – Em outubro foi a vez dos homens disputarem a Copa do Mundo de Vôlei, também no Japão. A competição contou com a participação de 12 seleções. O grande vencedor da disputa foi o Brasil, que ficou com o primeiro lugar de de forma invicta. A Polônia foi vice-campeã e os Estados Unidos ficaram com a terceira colocação.

Novembro

Mundial sub-17 – A seleção brasileira sub-17 fez bonito e deixou claro que uma forte próxima geração que veste a camisa amarelinha pode estar por vir. A Copa do Mundo Sub-17 aconteceu do dia 1º ao dia 17 de novembro no Brasil e reuniu seleções de 24 países.

Na semifinal, a seleção teve garra para buscar uma virada que parecia improvável e o 3×2 em cima da França garantiu vaga na final para os garotos. Na decisão, mais uma vez os donos da casa saíram atrás no placar, porém novamente conseguiram reverter o resultado. Diante do México, os garotos fizeram 2×1 e ergueram a taça.

Brasil fez a festa com a taça da Copa do Mundo sub-17. Foto: Alexandre Loureiro/CBF

Dezembro

Fórmula 1 – Mais uma vez, o inglês Lewis Hamilton mostrou o porquê de ser considerado um gigante da F1. O piloto da equipe Mercedes conquistou seu sexto título mundial com tranquilidade, já que somou 413 pontos, ficando com 87 de vantagem do segundo colocado, Valtteri Bottas.

Com a conquista ele se aproximou do maior vencedor da história, o alemão Michael Schumacher, que soma sete títulos. Hamilton já havia vencido em 2008, 2014, 2015, 2017 e 2018.

Surf – No cenário mais icônico do surfe no mundo, em Pipeline, no Havaí, o potiguar Ítalo Ferreira se tornou campeão mundial. Em um grande duelo na final com ninguém menos que Gabriel Medina, Ítalo terminou com a pontuação maior e virou o terceiro brasileiro a levar o título da World Surf League. Medinal venceu em 2014 e 2018, e Adriano de Souza – o Mineirinho – em 2015.

Ítalo Ferreira foi campeão mundial de surf pela primeira vez. Foto: Reprodução/Instagram

Flamengo – O Flamengo faturou o Brasileirão em uma campanha praticamente impecável. O Rubro-Negro alcançou 90 pontos e se tornou o clube com a maior pontuação na história da competição com 20 clubes. O recorde anterior era do Corinthians, que atingiu os 81 pontos em 2015. Em 2003, o Cruzeiro somou 100 pontos, porém a edição contava com 24 times.

E esse não foi o único recorde quebrado pelo Flamengo. O time teve o maior número de vitórias em uma mesma edição. Foram 28 em 38 partidas. O melhor ataque, com 86 gols, o maior saldo, com 49 gols, o melhor artilheiro, com Gabigol, que balançou as redes 25 vezes, e a maior invencibilidade em uma mesma edição, somando 24 jogos seguidos sem perder.

Mundial de Clubes – O Liverpool conquistou pela primeira vez em sua história o Mundial de clubes. Em Doha, no Qatar, a equipe inglesa bateu o Flamengo por 1×0 e ‘deu o troco’ pela final de 1981, em que os times se enfrentaram, mas a equipe do Brasil saiu com o título naquela ocasião. O gol da vitória inédita foi marcado pelo brasileiro Roberto Firmino.