Há 15 anos o levantador Maurício não ficava fora da escalação dos titulares da seleção brasileira de vôlei. O atacante Anderson, na seleção há dois anos, nunca havia começado como titular (nem conta o jogo contra Portugal, no ano passado, que já não valia mais porque o Brasil já estava classificado). O que ocorreu, ontem, na montagem da seleção na estréia da Liga Mundial de Vôlei, dá o tom do que o técnico Bernardinho quer para a temporada: ter o maior número disponível de atletas para entrar a qualquer momento e jogar a 100%.

São Paulo

(AE) – A seleção campeã mundial estreou com vitória, contra a Alemanha, por 3 sets a 0 (25/15, 29/27 e 25/19), em 1h08min, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, com 8.753 pessoas. Brasil e Alemanha voltam a jogar hoje, às 10 horas, no Ibirapuera.

O exigente Bernardinho deu “nota 6” para a seleção – dizendo que era ?generoso? – na estréia. “Foi bom pelo resultado e isso não é uma crítica, e sim uma esperança”, disse o técnico. Ele entende que o time pode dobrar de produção na temporada. “Fizemos quatro pontos de saque, podemos fazer oito.” O primeiro set, que o Brasil fechou com dez pontos de vantagem em apenas 19 minutos, já mostrava que a Alemanha não seria rival exigente. O Brasil só teve um pouco de trabalho no segundo set, massacrando os alemães no terceiro. O maior pontuador do jogo foi Giovane, com 15 pontos. “Eles são altos, mas cometem muitos erros, o que facilitou”, definiu Maurício, de 35 anos, confessando que não está “acostumado a ficar na reserva”.

A quadra ou a reserva será uma realidade para qualquer jogador da seleção, segundo o técnico, o que terá de ser aceito pelo grupo, sem vaidades. “É uma situação nova, estou testando, e todos vão ter de se acostumar. O Giovane se adaptou, o Giani, da Itália, que é um craque, entra a qualquer momento e decide. Nossa força está no grupo. Eles têm de ser maduros e incorporar esse conceito.”

Para Anderson, de 29 anos, a situação foi inversa à de Maurício. Comemorou a titularidade. “Para mim foi importante iniciar com o pé direito.” Mas nem um, nem outro, sabe quem estará em quadra neste domingo – Bernardinho ainda daria um treino ontem no fim da tarde, antes de decidir a equipe titular.

Bernardinho garante que está pensando longe, na temporada – as duas próximas partidas, pelo Grupo B da Liga Mundial, serão contra a Itália, dias 30 e 1.º de junho – e na Olimpíada de 2004. “Quero ser ambicioso e quero que o grupo me acompanhe nisso.”