Foto: Arquivo

Com uma vasta experiência internacional, Renê (de costas) agora encara o desafio de levar o Coritiba de volta à primeira divisão.

Ele conseguiu levar a seleção da Jamaica para a Copa do Mundo, levou a seleção brasileira feminina à medalha de prata nas Olimpíadas de 2004 e tem ampla experiência no futebol árabe. Ele é Renê Simões, substituto de Guilherme Macuglia e que terá a missão de levar o Coritiba de volta para a primeira divisão. Hoje, ele se reúne com a diretoria alviverde no Alto da Glória para acertar os últimos detalhes do contrato. Com ele, chegam também um auxiliar e um preparador de goleiros e o novo treinador já poderá dirigir a equipe na sexta-feira contra o Remo.

?Estamos conversando, vamos conversar mais amanhã e tem chance (do acerto sair)?, revelou à Tribuna. De acordo com Renê, para que esse acerto saia falta apenas um detalhe. ?Estou aguardando um novo contato para a gente definir isso?, disse. No entanto, ele não quis revelar qual seria esse detalhe e nem dizer que é o novo técnico do Coritiba, para não correr risco nenhum. ?Eu estive com tudo acertado com a seleção do Canadá e, na última hora, não deu certo?, justificou.

Segundo ele, a conversa com o coordenador de futebol João Carlos Vialle aconteceu ontem. Hoje, ele desembarca no Aeroporto Afonso Pena e dá uma entrevista coletiva às 11h30 no Couto Pereira. A tendência é que ele viaje com a delegação para Belém e acompanhe a partida contra o Remo. Renê pode, inclusive, comandar os trabalhos a partir de amanhã e já dirigir a equipe contra os paraenses.

Junto com o novo treinador, vem um auxiliar-técnico para o lugar de Luiz Carlos Martins e um preparador físico para a vaga de William Hauptmann, que também caiu junto com Macuglia. De acordo com a diretoria, o trabalho do preparador não vinha agradando e ele ainda se complicou após ter dado uma entrevista ao site Coxanautas.com revelando porque Juninho era mantido na equipe mesmo jogando mal e porque Ânderson Lima tinha ido para o banco apesar de ser o mais experiente do elenco.

Com o acerto com Renê Simões, o Coxa descartou uma infinidade de treinadores cogitados, cotados ou apenas especulados. Ontem, Vialle concedeu entrevista dizendo ter feito proposta para cinco, seis treinadores. O dirigente chegou a citar Toninho Cerezo, Wagner Benazzi, Paulo Comelli, Waldemar Lemos, Leandro Machado e outros. Lemos, entretanto, estava como o mais cotado para assumir o posto de Macuglia. O problema foi o salário pedido: R$ 50 mil para ele e R$ 17,5 mil para cada um de seus três assistentes.

Time terá várias mudanças

O técnico interino do Coritiba, Edson Borges, começou a moldar ontem a equipe para a partida de sexta-feira contra o Remo e deve promover várias mudanças. Isto se Renê Simões não assumir o time já amanhã. Apesar de ter mantido a base de Guilherme Macuglia no primeiro tempo do coletivo de ontem, Edson fez várias alterações na segunda parte, apostou na experiência de Ânderson Lima para a zaga e Marlos no meio num esquema 3-5-2 com algumas possibilidades táticas. Tudo, no entanto, depende do trabalho de hoje no CT da Graciosa.

?Eu testei as duas opções, mas ainda vou esperar o trabalho de amanhã (hoje) para ver qual a melhor opção?, disse o interino.

No primeiro trabalho, além da movimentação técnica e tática, ele reuniu os atletas no centro do gramado para uma conversa. ?Eu tive uma conversa boa com os atletas, mostrei a eles que a gente precisa se unir mais ainda em torno do resultado porque o Coritiba necessita de vitórias?, revelou.

No time, propriamente dito, ele começou com Edson Bastos; Ivo, Leandro, Dezinho e Fabinho; Rodrigo Mancha, Juninho, Douglas Silva e Pedro Ken; Henrique Dias e Gustavo. Na segunda parte teve Edson Bastos; Ânderson Lima, Leandro e Dezinho; Ivo, Rodrigo Mancha, Pedro Ken, Marlos e Fabinho; Keirrison e Gustavo.

Reintegração

O zagueiro Ozéia está de volta ao elenco principal do Alviverde. Depois de amargar um afastamento, sendo incluído numa lista de dispensa, ele foi chamado de volta.

?É uma nova fase e começo tudo de novo aqui no Coritiba. Tive alguns problemas, mas sempre estive à disposição do Coritiba?, explicou o defensor, que na semana que vem já volta a trabalhar com bola. Ninguém quis falar sobre qual era o problema, mas bastou Macuglia sair para ele voltar ao time.